• Nota à imprensa: Petrobras mente

    23/05/2018 Categoria: Artigos

    Carga tributária e preços internacionais para óleo diesel não podem sufocar os transportadores

    ​1) A política de preços adotada pela Petrobras em suas refinarias, que acompanha a alta das cotações internacionais do petróleo, é uma medida desproporcional, pois ela tem custos internos e não internacionais.

    2) Transportadores não podem responder pela ineficiência da Petrobras e pela corrupção que ocorreu na estatal.

    3) Países autossuficientes na produção de petróleo praticam preços do óleo diesel mais baratos.

    4) Em comparação a outros países que possuem perfil similar ao desenvolvimento econômico brasileiro, como Rússia e México, o preço do óleo diesel no Brasil é superior. O óleo diesel cobrado no Brasil é, em média, 15% superior ao cobrado nos Estados Unidos, sendo que a renda média neste país é seis vezes maior que a do brasileiro.

    5) A política de preços de combustível deve considerar as condições econômicas do Brasil.

    6) Essa política equivocada e desastrosa não poderia ter sido implantada em pior momento para o setor transportador, que ainda luta para superar as perdas da forte recessão econômica.

    7) Os sucessivos aumentos do óleo diesel comprometem com mais intensidade o transporte rodoviário, que responde pelo tráfego de 90% dos passageiros e por mais de 60% da movimentação de bens e produtos no Brasil.

    8) A solução apresentada, até o momento, pelo governo em nada contribuirá para garantir as condições mínimas de operação do transporte rodoviário de cargas e passageiros no país. A retirada da Cide sobre o óleo diesel terá impacto irrisório no preço final do combustível.

    CNT – Confederação Nacional do Transporte

  • Fraude no transporte público prejudica clientes do serviço

    10/05/2018 Categoria: Artigos

    O sistema público de transporte coletivo é custeado pelo valor da passagem. Por essa razão, os clientes do transporte coletivo são os maiores prejudicados quando alguém faz uso do passe livre de forma indevida. Utilizar o cartão de outra pessoa e deixar de pagar pela passagem é crime tipificado no capítulo VI do artigo 176 do Código Penal Brasileiro, cuja pena pode variar de 15 dias a 2 meses de detenção, além de interferir no preço da tarifa e dificultar melhorias no transporte.

    O Sitpass Funcional é de uso exclusivo dos colaboradores da Rmtc, o Passe Livre Estudantil só pode ser utilizado por alunos devidamente matriculados em instituições de ensino regular, o Passe Livre Idoso deve ser usado exclusivamente por pessoas acima de 65 anos, o uso do SitPass Criança é permitido apenas para crianças de 5 a 12 anos (incompletos) e o Sitpass PCD deve ser usado somente por pessoas com deficiência. Todos são benefícios de uso exclusivo do portador.

    Seja consciente, valorize seu benefício. A mudança começa com a nossa atitude!

  • Atenção e respeito às sinalizações garantem mais segurança para quem transita nos terminais

    03/04/2018 Categoria: Artigos

    Atravessar fora da faixa de pedestre, entrar no terminal pela pista de rolamento e não respeitar a faixa de contenção. Estes são só alguns dos principais atos de imprudência registrados todos os dias através das câmeras de segurança instaladas nos 21 terminais de ônibus de integração da Região Metropolitana de Goiânia.

    É possível encontrar sinalizações para toda e qualquer atividade dentro dos terminais: aviso de pare, limite de velocidade, faixa de pedestre orientando onde deve ser feita a travessia com segurança, placas indicativas de locais de embarque e desembarque, sinalização de rota de fuga (saídas de emergência) e faixas de contenção nas plataformas de embarque. No entanto, nem todos dão o devido valor às medidas de segurança.

    Além disso, todos os atendentes são treinados para auxiliar os clientes, não só com informações referentes às linhas de ônibus, mas também orientando e alertando sobre atitudes incorretas que coloquem em risco sua integridade física.

     

    Segue algumas dicas de segurança para transitar nos terminais:

    • Utilize sempre a faixa de pedestre para travessia entre as plataformas dentro do terminal;
    • Não atravesse em hipótese alguma a pista de rolamento (local de locomoção dos ônibus);
    • Respeite as faixas de contenção;
    • Não sente no meio fio das plataformas;
    • Não corra dentro dos terminais;
    • Aguarde a parada total do ônibus para realizar o embarque ou desembarque;
    • Dê preferência para os idosos, gestantes e pessoas com deficiência – PcD;
    • Denunciar irregularidades quanto a conduta dos profissionais através do número 0800 648 2222.
  • Rmtc disponibiliza bicicletários em 14 terminais

    28/03/2018 Categoria: Artigos

    O crescente número de automóveis nas vias traz consigo algumas preocupações e a necessidade de reflexão sobre seu uso excessivo. Além do aumento de engarrafamentos e maior poluição, o transporte individual motorizado tem se tornado uma opção economicamente inviável para muitos devido ao aumento frequente dos combustíveis.

    Dentro deste cenário, o transporte público coletivo se mostra indispensável para a diminuição do número de veículos automotores nas ruas, e a bicicleta uma aliada para a conquista de um espaço viário mais democrático.

    Com o intuito de cooperar com a mobilidade urbana, O RedeMob Consórcio disponibiliza bicicletários em 14 de seus terminais. Isso possibilita que o cliente do transporte público vá até o terminal sem precisar de veículo automotor, deixe sua bicicleta em um dos locais reservados, e embarque no ônibus desejado.

    Ao contrário do transporte particular, tanto o transporte público coletivo quanto a bicicleta oferecem mais atributos relacionados à sustentabilidade socioeconômica e ambiental.

    Confira a lista dos 14 terminais que possuem bicicletários:

    • Terminal Araguaia
    • Terminal Bandeiras
    • Terminal Cruzeiro
    • Terminal Garavelo
    • Terminal Goiânia Viva
    • Terminal Isidória
    • Terminal Maranata
    • Terminal Nerópolis
    • Terminal Parque Oeste
    • Terminal Senador Canedo
    • Terminal Trindade
    • Terminal Veiga Jardim
    • Terminal Vera Cruz
    • Terminal Vila Brasília
  • Prefeitura de São Paulo diz que corredores de ônibus contarão com R$ 240 milhões neste ano, dos quais R$ 35 milhões já foram empenhados

    27/03/2018 Categoria: Artigos

    Segundo Iema e Pesquisa Origem/Destino do Metrô, ônibus transportam 40% dos cidadãos e ocupam 3% das vias, enquanto carros transportam 30% e ocupam 88% das ruas e avenidas. Carros e motos são os “vilões” da poluição na cidade, mostra estudo.

    Gestão Doria tem transferido recursos dos espaços que seriam destinados ao transporte coletivo para o Programa Asfalto Novo

    ADAMO BAZANI

    A SPTrans – São Paulo Transporte informou ao Diário do Transporte que neste ano, a Prefeitura utilizou até o momento, R$ 35,77 milhões  (R$ 35.776.074,00) para qualificação e construção de corredores de ônibus, do total de R$ 240 milhões (R$ 240.083.123,83) reservados no Orçamento para todo o ano de 2018.

    Ainda segundo a gestão, “estão em obras mais 14 quilômetros de extensão do corredor Itaquera, trechos 1 e 2. A previsão do plano de metas é implantar 72 km até 2020.” Em fevereiro, de acordo com a SPTrans, “foi concluído o último trecho do corredor Berrini, com extensão de 3,3 km.”

    A informação foi uma resposta da gerenciadora de transportes ao pedido feito pela reportagem que, com base em decretos de João Doria, no Diário Oficial da Cidade, mostrou que somente neste ano, a gestão fez duas transferências milionárias de recursos que seriam destinados aos corredores de transporte coletivo para o programa Asfalto Novo, considerada uma das atuais bandeiras do prefeito que, em abril, se afasta do cargo para disputar a vaga ao Governo do Estado de São Paulo.

    A primeira transferência foi de R$ 192 milhões (R$ 192.227.832,59), em decreto de 22 de fevereiro e, por meio de decreto de 23 de março, foram transferidos mais R$ 110 milhões (R$ 110.202.414,58).

    Apesar de ônibus circularem nas vias que devem ser contempladas com o Asfalto Novo, na prática, o maior beneficiado com as transferências deve ser do transporte individual, já que os carros ocupam mais o espaço na cidade, apesar de transportarem menos passageiros, segundo o Inventário de Emissões Atmosféricas do Transporte Rodoviário de Passageiros no Município de São Paulo, lançado em 23 de maio do ano passado, pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente – Iema.

    Com base na Pesquisa Origem – Destino do Metrô o estudo mostra que os carros transportam apenas 30% das pessoas na cidade, mas ocupam 88% do espaço das vias. Os ônibus municipais, por sua vez, transportam 40% dos cidadãos, mas só ocupam 3% das vias.

    Em relação à poluição, os carros e as motos prejudicam muito mais a cidade que os ônibus.

    Ainda de acordo com o estudo do Iema, os carros de passeio transportam apenas 30% das pessoas em São Paulo, mas são responsáveis por 72,6% das emissões de gases de efeito estufa do setor de transportes.

    Já os ônibus municipais, de acordo com a pesquisa de Origem e Destino, transportam em média 40% das pessoas que se deslocam pela cidade, mas são responsáveis apenas por 3,1% das emissões na capital paulista (isso com a tecnologia Euro III de motores predominante, cerca da metade da frota atual de ônibus é Euro V, que polui menos).

    Levando em consideração as emissões por passageiro por quilômetro, os carros e motos continuam sendo os campeões de poluição. Os carros emitem 65,8% de dióxido de carbono, as motocicletas são responsáveis por 35,6% e os ônibus municipais lançam no ar 17%.

    A reportagem questionou o fato de com quase 1 ano e quatro meses, a gestão Doria ainda implantou nenhuma faixa de ônibus na cidade.

    A SPTrans diz que juntamente com a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego estuda a possibilidade de novos espaços deste tipo, mas não informou nenhuma previsão.

    Na nota, a gerenciadora ainda acrescentou que o Programa Asfalto Novo contempla corredores de ônibus, o que vai resultar em melhor fluidez ao transporte coletivo.

    Confira a nota na íntegra:

    A Prefeitura informa que o remanejamento orçamentário é permitido por lei, no limite de 9% do seu total. O Programa Asfalto Novo prevê, como o nome diz, melhorias no asfalto das ruas e avenidas da cidade e também dos corredores de ônibus, o que garante melhor fluidez aos ônibus e veículos.

    Em 2017, foram empenhados em corredores de ônibus R$ 88.151.503,52. Para 2018, foram orçados para corredores R$ 240.083.123,83 e o valor empenhado até o momento é de R$ 35.776.074,00.

    A cidade de São Paulo conta com 12 corredores de ônibus que totalizam 128,7 km de extensão. Em fevereiro de 2018, foi concluído o último trecho do corredor Berrini, com extensão de 3,3 km. Atualmente, estão em obras mais 14 quilômetros de extensão do corredor Itaquera, trechos 1 e 2. A previsão do plano de metas é implantar 72 km até 2020.

    As equipes de planejamento da SPTrans e da CET realizam constantemente estudos de implantação de novas faixas de ônibus em todas as regiões da cidade.

    Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Categorias

Posts recentes

Tags