• Linha 020 tem seu trajeto alterado temporariamente

    17/04/2018 Categoria: Esclarecimentos

    Devido a interdição da Marginal Botafogo, a linha 020 (T.Garavelo/T. Bíblia – Via T. Isidória), uma das mais impactadas e que transporta em média 19 mil pessoas por dia útil, teve seu trajeto original alterado temporariamente. Seguindo a partir da rua 1015, ao invés de entrar na Avenida Leopoldo de Bulhões, os ônibus estão seguindo pela Avenida Mário Caiado, virando à esquerda na Avenida Areião até a Rua 90. Segue depois pela Rua 115, atravessando a Avenida Jamel Cecílio, retornando ao seu trajeto normal logo em seguida.

    Devido a interdição, o trajeto temporário da linha 020 deixará de atender os pontos 2381 e 2380. Confira no mapa:

  • Interdição na Marginal Botafogo causa grande impacto no Transporte Público Coletivo

    17/04/2018 Categoria: Esclarecimentos

    A interdição na Marginal Botafogo tem causado grandes congestionamentos em diversas vias de Goiânia, interferindo diretamente na operação dos ônibus do Transporte Público Coletivo de Goiânia.

    Várias linhas de ônibus que trafegam nas imediações da Marginal Botafogo estão registrando atrasos consideráveis e impactando na rotina dos usuários do Transporte Público: 018, 020, 021, 023, 024, 026, 028, 170, 193, 253, 261, 283, 302, 400, 406 e 905, linhas estas que juntas transportam mais de 75 mil pessoas em média por dia útil.

    A velocidade operacional dos ônibus, medida diariamente pelo Consórcio, constatou que nos horários de pico, a velocidade da Rua 115, uma das mais impactadas pela interdição da Marginal Botafogo, saiu de 18,3 km/h para 6,4 km/h, uma queda de 65%. Outra via que também está tendo impacto é a Rua 243, onde a velocidade passou de 13,4km/h para 6,5 km/h, uma queda de 51%. Na Avenida E, outra via que se tornou crítica, a velocidade operacional saiu de 15,9km/h para 8,7km/h, uma redução de 45%. Já na Avenida Leopoldo de Bulhões, a velocidade média dos ônibus saiu de 16,9km/h para 12,3km/h, uma queda de 37%.

  • NTU divulga carta aberta

    22/03/2018 Categoria: Esclarecimentos

    A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos – NTU divulgou hoje (22), carta aberta sobre reunião feita em Brasília sobre a crise no setor de transporte público urbano, leia abaixo a carta na íntegra.

     

    Carta de Brasília 

    Os empresários do setor de transporte público urbano por ônibus, reunidos na sede da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) para avaliar a grave crise pela qual passa o setor e buscar caminhos para superá-la, vêm alertar as autoridades públicas sobre os grandes problemas que colocam em risco a própria continuidade da participação da iniciativa privada na prestação desse serviço público essencial para grande parte da população brasileira.

    Desde junho de 2013, quando ecoaram por todo o País as manifestações da sociedade brasileira, mostrando seu descontentamento com a qualidade dos serviços públicos, as redes de transporte coletivo da maioria das grandes cidades brasileiras enfrentam severos desequilíbrios econômicos e um processo contínuo de degradação.

    As promessas do governo federal na época, por um Pacto Nacional pela Mobilidade Urbana, ficaram no discurso e no papel, o que jogou por terra a maioria dos projetos de melhoria de uma infraestrutura urbana que é totalmente inadequada ao transporte coletivo de qualidade.

    Os raros projetos de BRT implantados em algumas capitais do País, na euforia da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, estão sendo sucateados, pagando o preço por serem sistemas incompletos, sem uma adequada manutenção e segurança da infraestrutura, em total desrespeito ao dinheiro público e aos passageiros.

    Acuados pela revolta social e sem condições financeiras próprias para qualquer resposta à sociedade, os governos municipais e estaduais optaram, com raras exceções, pelo caminho ilegal do descumprimento de contratos e postergação dos reajustes tarifários, que estão sufocando as empresas operadoras de ônibus urbanos, na sua grande maioria, de porte pequeno e médio. O resultado não poderia ser outro: no período de 2014 a 2016, mais de 10% das empresas do setor fecharam as portas.

    A grave crise econômica que o País enfrenta desde 2014 piorou ainda mais a situação do setor, seja pela queda de demanda em função do desemprego, seja pelo ressurgimento do transporte ilegal e ainda pelo nascimento do transporte sob demanda por aplicativos, que se aproveita da falta de regras e das imperfeições do próprio mercado. No período de 2014 a 2017, o setor amarga uma perda de 20% da demanda.

    A derrocada não é um fato recente. Ao longo das últimas décadas, o transporte público urbano por ônibus vem perdendo qualidade e desempenho como resultado de uma política equivocada do governo federal que incentivou a propriedade e o uso dos automóveis, provocando o crescimento vertiginoso dos congestionamentos urbanos, que penaliza duplamente aquele que usa o transporte coletivo. Além de perder em qualidade pelo aumento dos tempos de viagem, ele paga mais pela queda de produtividade, que pode representar um acréscimo de até 25% no preço das passagens.

    Chega! A sociedade brasileira não aceita mais conviver com essa dura realidade. Precisamos de medidas urgentes para garantir a prestação dos serviços com qualidade e a preços acessíveis, assegurando ao mesmo tempo a sobrevivência das empresas e a manutenção de quase 500 mil empregos diretos que o setor gera.

    Estas são nossas propostas para recuperação do setor:

    • Cumprimento rigoroso dos contratos de concessão ou permissão, respeitando os direitos e deveres das duas partes.
    • Financiamento de parte dos custos operacionais do transporte coletivo pelo transporte individual, de forma a reparar seus efeitos negativos para a sociedade.
    • Retomada dos investimentos na infraestrutura urbana e priorização do espaço urbano destinados ao transporte coletivo.
    • Apropriação clara e transparente dos custos envolvidos na atividade e sua divulgação para toda a sociedade.
    • Cobertura dos custos das gratuidades e benefícios tarifários no transporte público por toda a sociedade, por meio dos orçamentos públicos, e não apenas pelos passageiros pagantes.
    • Proteção das redes de transporte público coletivo contra a concorrência predatória do transporte ilegal e do transporte sob demanda por aplicativos, bem como contra a insegurança pública que assusta os usuários.

    Brasília, março de 2018
    Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos – NTU

     

     

     

  • Qual é o seu rolê?

    02/03/2018 Categoria: Esclarecimentos

    Terminais da Região Metropolitana de Goiânia receberão shows durante o mês de março

    Você gosta de música? Durante todo o mês, os terminais da Região Metropolitana de Goiânia, iniciando pelo Eixo Anhanguera receberão o projeto Eixo Musical, que propõe apresentar o trabalho de novos artistas para os clientes do transporte público coletivo.

    Agora os terminais serão pontos de divulgação de cultura e arte, enquanto aguardam, os passageiros poderão conferir a apresentação de nove artistas regionais.

    O projeto vai acontecer nos terminais Padre Pelágio, Isidória, Cruzeiro e Novo Mundo, todas as terças feiras às 19h, com uma apresentação extra no sábado, 17, às 17h para quem não puder acompanhar durante a semana.

    A ideia é a tornar a permanência de todos mais agradável, além de divulgar e apoiar novos artistas.

    Confira o cronograma para você não ficar de fora!

    06/03 – Terminal Padre Pelágio: Controverso e Sã Consciência – 19h
    13/03 – Terminal Isidória – Cocada Coral e Guerrilha dos Coelhos Mutantes (GCM) – 19h
    17/03- Terminal Cruzeiro – Distoppia e Ressonância Mórfica – 17h
    20/03 – Terminal Cruzeiro – Caboclo Roxo e Lorrana Santos – 19h
    27/03 – Terminal Novo Mundo – Wu Kazul e Old Place – 19h

    Serviço: Eixo Musical
    Dias: todas as terças–feiras do mês de março, e um sábado
    Locais: Terminais Padre Pelágio, Isidória, Cruzeiro, Novo Mundo
    Horário: 19h às 20h30

  • Polícia Militar reforça efetivo nos ônibus do Eixo Anhanguera para garantir a segurança de clientes do transporte público coletivo

    23/02/2018 Categoria: Esclarecimentos

    80 policiais dos batalhões Rodoviário, Ambiental e de Eventos atuarão de maneira preventiva nos Terminais de Integração, Estações e veículos do Eixo Anhanguera

    A nova fase da Operação Embarque Seguro foi lançada pela Polícia Militar (PM), na manhã desta sexta-feira (23), no Terminal Padre Pelágio, com o objetivo de atuar preventivamente contra roubos e furtos, reduzindo ações criminosas dentro dos veículos do Eixo Anhanguera e em Terminais de Integração.

    Estiveram presentes no lançamento, o secretário de Segurança Pública de Goiás, Irapuan Costa Júnior; o subcomandante Geral, Coronel Ricardo Rocha; o comandante do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Ricardo Mendes; o subcomandante do CPC, tenente-coronel Marreiros e vários comandantes de unidades pertencentes ao CPC.

     

    Segundo o coronel Ricardo Mendes, a operação contará com o efetivo de várias unidades, dentre elas do Batalhão Ambiental, Batalhão de Eventos com o incremento de 80 policiais na operação, que iniciou reforçada hoje às 5 horas.

    “Haverá a presença de uma viatura da PM em todos terminais ao longo do Eixo Anhanguera, além do Terminal Vera Cruz, e ações dentro dos ônibus”, garantiu o coronel Ricardo Mendes, ao mencionar que as abordagens serão legais e seguras. Além disso, o comandante ainda disse que a ação trará sensação de segurança ao levar presos as pessoas suspeitas.

    O gerente de Segurança de Transportes do RedeMob Consórcio, Sandro Guimarães, ressaltou que, o incremento de policiais e a nova metodologia tática empregada junto às manchas criminais no transporte público coletivo promoverá redução da violência dentro dos ônibus, estações e terminais do Eixo Anhanguera.

    WhatsApp da Segurança

    O cliente do transporte público coletivo pode denunciar qualquer crime ou ação suspeita dentro do ônibus ou no terminal, através do WhatsApp de Segurança. Basta encaminhar todos os detalhes possíveis para o número (62) 9.8591-8952.

    A mensagem é recebida a partir do posto da Central de Segurança de Transportes, do RedeMob Consórcio, que atua dentro do Comando de Operações da Polícia Militar (COPOM). Após apurada, é enviada uma viatura ao local para interceptar o veículo e dar o apoio necessário à ocorrência do cliente.

Categorias

Posts recentes

Tags