• Motorista gentil surpreende clientes da linha 161

    13/09/2017 Categoria: Mobilidade Urbana

    Share

    Em um dia normal em sua rotina de trabalho a jovem Aymê de Sousa saiu de casa, na sexta-feira, 18/08, para embarcar na linha 161 – T. Bandeiras / Vila Boa e passou por uma experiência muito agradável. “Quando entrei no veículo o motorista me cumprimentou, disse que eu era muito bem-vinda e que era um prazer me atender. Na hora eu fiquei surpresa e me senti lisonjeada com a atitude dele, é bom ver que isso ainda existe”, declara.

    O motorista a quem Aymê se refere é Cláudio Silva, de 38 anos. Ele trabalha no transporte coletivo há 3 anos e depois de algumas situações pessoais percebeu que precisava mudar sua postura com as pessoas. Depois de um curso de atendimento ao cliente oferecido pela empresa de ônibus, resolveu que não prestaria apenas um bom atendimento, mas agiria para melhorar o dia dos passageiros que embarcassem com ele. “No início as pessoas se assustam, não estão acostumadas com isso, outro dia até me aplaudiram. Percebi que a minha atitude faz muita diferença, a viagem fica mais leve, as pessoas ficam felizes e retribuem a gentileza, vou fazer isso sempre”, disse.

    Treinamentos
    Todos os motoristas que atuam no transporte público coletivo da região metropolitana de Goiânia passam por treinamentos periódicos onde são abordados temas como: direção segura, bom atendimento ao cliente e atenção devida aos portadores de necessidades especiais ou mobilidade reduzida.

  • Nova linha é criada para atender clientes do Residencial Santa Fé em Trindade

    25/07/2017 Categoria: Mobilidade Urbana

    Share

    Os clientes do Residencial Santa Fé, em Trindade, podem comemorar. A partir de quarta-feira (26), eles passarão a contar com uma nova linha do transporte público coletivo.  A 734 – T. Trindade / Rodovia GO-060 / Res. Santa Fé terá início no terminal Trindade e passará pela Avenida Francisco Paulo, Rua 11, Avenida Manoel Monteiro, Avenida Manoel Monteiro, Rua 46, Rodovia GO-060, Avenida Padre Pelágio, Avenida Espólio Martins Gomes, Avenida Veiga Jardim, Avenida Dr. Edilberto da Veiga Martins, Avenida S-07, Avenida S-22 e Rua S-03, em seguida ela volta ao terminal.

    A nova linha vai atender os clientes de segunda a sábado e terá 80 viagens semanais. Além do Residencial Santa Fé, a linha também vai passar pela Vila Pai Eterno, Vila Maria e Setor Laguna Park. Confira o trajeto no mapa:

     

  • Linhas desviam em nova fase de implantação do Corredor Preferencial T-7

    23/09/2016 Categoria: Mobilidade Urbana

    Share

    Nos dias 24 e 25 de setembro, trecho da Avenida C-8, próximo à Avenida C-12, será interditado para obras do corredor preferencial de ônibus T-7. Por isso, as linhas 027, 029, 950 e 951 serão desviadas.

    Para quem segue no sentido centro, as linhas vão desviar pela C-07, C-14, C-63 e em seguida retornam para a Avenida C-12.
    No sentido bairro, as linhas desviam pela C-53, C-42 e C-7 onde seguem até a Avenida dos Aples, seguindo o trajeto normal.

    Pontos sem atendimento:

    • Sentido Centro: 6 e 7
    • Sentido Bairro: 45 e 46

    linhas-027-029-950-951-01

  • No Dia Mundial Sem Carro, goianienses ganham mais espaço para circular de bicicleta

    22/09/2016 Categoria: Mobilidade Urbana

    Share
    Foto: Altair Tavares

    Foto: Altair Tavares

    Prefeitura de Goiânia concluiu as obras da ciclovia da avenida Couto Magalhães e cidade já possui 78,14 quilômetros de vias para ciclistas. Confira onde estão os trechos e pedale pela cidade

     
    Hoje, no Dia Mundial Sem Carro, os goianienses podem utilizar suas bicicletas em mais de 78,14 quilômetros de trechos cicloviários espalhados pelos bairros da cidade. As equipes da Prefeitura de Goiânia estão executando obras em mais 24,33 quilômetros preferenciais para ciclistas, que serão entregues até dezembro deste ano.
     
    Criado na França, em 1997, o Dia Mundial Sem Carro é celebrado em cidades do todo mundo com o objetivo de propor uma reflexão sobre o uso excessivo do automóvel e estimular a adesão a outros meios de locomoção, como as bicicletas. Em Goiânia, nesta semana, a administração municipal concluiu a construção da ciclovia na avenida Couto Magalhães. O novo trecho tem curta extensão, 0,45 quilômetro, e está interligada à ciclovia da T-63 e à ciclofaixa do Parque Areião.
     
    O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, acredita que o compartilhamento seguro do trânsito, com pedestres e ciclistas, é uma meta que deve ser perseguida pelos gestores públicos, pois evita mortes em acidentes e fortalece a cidadania nas cidades.
     
    Ele diz que, no Dia Mundial Sem Carro, Goiânia tem cerca de setenta vezes mais quilometragens cicloviárias do que quando assumiu a gestão, em 2012. “Nesta época, a democratização do trânsito não era prioridade. Vamos concluir a gestão com 102,48 quilômetros de vias preferenciais para ciclistas”.
     
    As vias prioritárias para bicicletas, na Capital, estão interligadas aos corredores preferenciais de ônibus e aos parques ambientais, em bairros das regiões sudoeste, central, sul e noroeste.
    No Jardim Curitiba, as ciclofaixas estão disponíveis ao longo do Parque do Povo, facilitando os trajetos diários e os passeios de lazer nos finais de semana. No Irisville, a ciclovia também é integrada e possui 1,2 quilômetros de extensão.
     
    Educação para o trânsito
    O Dia Mundial Sem Carro integra a programação da Semana Nacional de Trânsito, que acontece de 18 a 25 de setembro. Em Goiânia, a administração municipal, por meio das Secretarias Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) e de Saúde (SMS), promoveu programação especial para crianças e comunidade.
     
    Desde o mês de maio, crianças de escolas municipais e particulares produziram vídeos com o tema cidadania e trânsito. O trabalho desenvolvido pela equipe de educação de trânsito da SMT e da Secretaria Municipal de Educação (SME) possibilita um novo olhar sobre o trânsito e ainda introduz conceitos de leis e promove a conscientização do futuro motorista para um trânsito mais seguro.
     
    Os vídeos possuem cerca de três minutos e foram compilados para apresentação nas telas do cine Lumière, no Shopping Bougainville. A mostra segue até nesta quinta-feira, 22, nos períodos matutino e vespertino, às 9h30 e 14h30.
     
    Confira a lista de trechos cicloviários já entregues e pedale pela cidade
     
     
    Trechos cicloviários entregues (78,15 quilômetros)
     Ciclovias
    Avenida Universitária – Pça da Bíblia até Pça Cívica – 2,5 km
    Praça Cívica – 0,37 km
    Av. T-7 – Praça Cívica até Av. Assis Chateaubriand – 2,60 km
    Av. T-63 – Pça Félix de Bulhões até Wilson Sales – 3,20 km
    AV.T-63 – Pça Wilson Sales até Pça Terminal Isidória – 2,60 km
    Av. Circular – 1,40 km
    Av. Couto Magalhães – 0,45 km
    Parque Flamboyant – 1,90 km
    Parque Leolídio di Ramos Caiado – 1,80 km
    Parque Linear Macambira Anicuns – 7 km
    Ciclovia Irisville – 1,20 km
    Total: 24,57 quilômetros
     
    Ciclorrotas
    Rua Cora Coralina – Pça Cívica até Av. T-63 – 3,83 km
    Av. 90 – Pça Terminal Isidória até Pça Cívica – 3,57 km
    Rua 1 – 0,23 km
    Rua 2 – 0,39 km
    Rua 3 – 1,44 km
    Rua 4 – 1,70 km
    Rua 6 – 0,72 km
    Rua 8 – 0,89 km
    Rua 9 – 0,72 km
    Ligação entre Av. Perimetral Norte e Av.B V 22 – 9,75 km
    Ligação entre Av.B V 22 e Av. Perimetral Norte – 9,87 km
    Ligação Jardim Botânico à Av. Circular – 1,10 km
    Ligação Av. Circular ao Jardim Botânico  – 0,65 km
    Total: 33,37 quilômetros
     
    Ciclofaixas
    Parque Areião (contorno) – 2,40 km
    Ligação entre Parque Areião e Parque Vaca Brava – 1,50 km
    Ligação entre Parque Vaca Brava e Parque Areião – 1,10 km
    Parque Vaca Brava (contorno) – 1,15 km
    Ligação entre Parque Zoológico e Parque Vaca Brava – 3,00 km
    Ligação entre Parque Vaca Brava e Parque Zoológico – 3,10 km
    Parque Zoológico (contorno) – 2,55 km
    Jardim Botânico – 3,20 km
    Total: 14,80 quilômetros
     
    Trechos cicloviários em fase de implantação (24,33 quilômetros)
    Ciclovias em construção
    Av. T-7 – Av. dos Alpes – 1,50 km
    Av. 2ª Radial – 1,00 km
    Parque Macambira Anicuns – 9,60 km
    Total: 12,10 quilômetros
     
    Ciclorrotas em implantação
    Av. T-7 – Av. T-6 até Av. dos Alpes – 2,55 km
    Ligação entre Av.T-63 e Av. dos Alpes – 1,90 km
    Ligação entre Av. dos Alpes e Av. T-63 – 1,75 km
    Ligação entre Pq. Flamboyant e Av. 2ª Radial – 2,45 km
    Ligação entre Av. 2ª Radial e Pq. Flamboyant – 2,40 km
    Total: 11,05 quilômetros
     
    Ciclofaixas em implantação
    Av. T-7 – Av. Assis Chateaubriand até Av. T-6 – 0,90 km
    Ligação entre R.1066 e Av.2ª Radial – 0,28 km
    Total: 1,18 quilômetros
    Fonte: Assessoria de Imprensa CMTC 

  • Experiência em SP mostra que carros usam 17 vezes mais espaço para levar mesmo número de gente que um ônibus

    27/01/2016 Categoria: Mobilidade Urbana

    Share

    Matéria veiculada no site UOL
    RICARDO GALLO DE SÃO PAULO

    Numa avenida Pacaembu deserta e silenciosa, 48 figurantes entram e saem de carros e, depois, sentam-se em bancos dispostos dentro de um retângulo, demarcado por fita crepe, que reproduz as dimensões de um ônibus.

    Vestidos com camisa e calças pretas, os figurantes especulam a razão de estar ali –nem todos foram informados pela produção. “Acho que é para mostrar o luto de ficar no trânsito”, diz Adelson Freire, 49, figurante de programas de tevê e corretor.

    Trata-se de um ensaio fotográfico da Folha para ilustrar a mobilidade na metrópole. O resultado: 48 pessoas em 40 carros (a média da cidade, 1,2 pessoa por veículo) ocupam, juntos, cerca de 840 metros quadrados, 17 vezes mais espaço na rua do que o mesmo contingente em um ônibus, em uma simulação de conforto dos passageiros.

    Os figurantes também reproduziram três outras situações: sentados em bancos, como se estivessem dentro de um carro imaginário, sobre bicicletas (reais) e num espaço que simula um vagão.

    Para tal, um trecho da avenida Pacaembu foi fechado pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) na manhã do domingo passado (17). A Folha pagou R$ 1.561,78 pela operação.

    A experiência foi feita pela primeira vez em 1991, em Münster (Alemanha). Depois, repetida mundo afora.

    A intenção foi mostrar como o transporte coletivo e a bicicleta são capazes de ocupar menos espaço que o carro –e, no caso do ônibus e do metrô, carregando mais gente. Em tese, perfeito. Mas, diante de uma rede de transporte coletivo que está aquém da velocidade ideal (menos de 20 km/h; o ideal são 25 km/h) e de uma rede de metrô restrita (78 km), muitos escolhem o carro para se deslocar.

    “Esse ensaio induz à conclusão de que é uma maravilha andar de bicicleta. Bicicleta não é meio de transporte; é uma alternativa. E o ônibus não consegue atender todas as viagens. O carro não pode ser tratado como bandido. O pensamento idílico não resolve a questão da mobilidade”, diz Sergio Ejzenberg, engenheiro e mestre de transportes pela USP.

    Não é unanimidade. “Em uma grande avenida, no horário de pico, os ônibus levam de 5.000 a 10 mil pessoas –e carros, 1.300 pessoas. A relação é de um passageiro no carro para dez no ônibus”, pondera Horácio Augusto Figueira, consultor em engenharia de transportes.

    http://arte.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/01/24/sp-se-move/

Categorias

Tópicos recentes

Tags