• Ponto Final do Assédio

    11/05/2018 Categoria: Segurança

    Um bom convívio em sociedade depende, principalmente, da valorização da ética e respeito entre as pessoas. No transporte público coletivo, essa lógica não é diferente. Contudo, alguns comportamentos ainda se colocam como entrave ao bem estar da sociedade e dificultam seu progresso. Um exemplo é o desrespeito sofrido por mulheres ainda nos dias de hoje através do assédio.

    Assédio é qualquer ato que cause constrangimento ou viole a intimidade do outro. Contato físico ofensivo e sem consentimento, constrangimento verbal, etc. Atitudes como essas podem ser consideradas crimes, consequentemente passíveis de punição. É necessário a mobilização de todos para que possamos abolir essa prática, e a denúncia é parte fundamental que deve ser estimulada de forma a inibir futuras agressões.

     

    Presenciou ou sofreu abusos?

    Agora, com a possibilidade de se registrar o TCO (Termo Circunstancial de Ocorrência) com a Polícia Militar nos terminais, os clientes do transporte público podem denunciar abusos sem necessidade de comparecer à delegacia, bastando apenas se dirigir a um dos policiais.

    Além disso, a Patrulha Maria da Penha disponibiliza um telefone exclusivo para denúncias de crimes contra a mulher: (62) 99930-9778.

    Também é possível denunciar através do nosso canal de comunicação via whatsapp: (62) 98591-8952. As denúncias de ocorrências de crimes são rapidamente encaminhadas ao Comando de Operações da Polícia Militar (Copom), que aciona a viatura mais próxima.

    Equipe da Patrulha Maria da Penha realiza ação intensiva no Terminal Vera Cruz

  • Uso indevido do Transporte Público Coletivo: Um problema de todos

    23/04/2018 Categoria: Segurança

    O uso indevido do transporte público coletivo é o termo que se usa quando uma pessoa utiliza o serviço sem efetuar o pagamento da tarifa, também pode ser entendido como fraude ou evasão de receita.

    Na Região Metropolitana de Goiânia isto é um problema grave e gera um prejuízo para as pessoas que usam o transporte público coletivo equivalente a menos 75 ônibus na operação, conforme pesquisa realizada em toda Rede Metropolitana de Goiânia, pelo RedeMob Consórcio no primeiro semestre de 2017.

    O uso indevido ou fraude, acontece quando as pessoas pulam ou passam por debaixo da catraca dos ônibus e dos terminais, adentram nos terminais e estações pelos acessos de veículos ou usam indevidamente os passes livres Sitpass: idoso, deficiente, criança, etc.

    Se não existisse o uso indevido, que corresponde cerca de R$ 26 milhões/ano, o serviço poderia ser melhorado cerca de 9% na oferta de viagens e lugares, ou seja, 30 mil viagens a mais e 2.700.000 lugares de incremento ao mês.

    O resultado poderia ser ainda muito pior, já que em 2016, antes da assunção pelo RedeMob Consórcio da gestão dos terminais e estações do Eixo Anhanguera, o uso indevido nestes locais estava próximo a 18%, hoje cerca de 1,4%. Veja índices da evasão no gráfico seguinte:

  • Encontro com Superintendente visa intensificar operação da PRF no transporte coletivo

    04/04/2018 Categoria: Segurança

    Com o intuito de combater a violência nas linhas de ônibus que cortam rodovias federais, foi realizada, nesta terça-feira (3), reunião com o Superintendente Regional da Polícia Rodoviária Federal, Álvaro de Resende Filho e representantes do RedeMob Consórcio.

    Dentre os assuntos discutidos no encontro, ficou definido pelo início imediato do planejamento das operações a serem realizadas nos pontos onde mais se registrou incidentes criminosos. Segundo o Superintendente da PRF, o trabalho de informação e inteligência irá traçar a estratégia a ser adotada. “Será feito um mapeamento das áreas e horários de maior risco para que sejam efetuadas operações pontuais nesses locais” disse Álvaro de Resende.

  • Terminais em Aparecida de Goiânia recebem ação especial da Patrulha Maria da Penha

    27/03/2018 Categoria: Segurança

    A Polícia Militar do Estado de Goiás realiza nos terminas em Aparecida de Goiânia, nos dias 26, 27 e 28 de março, uma ação especial da Patrulha Maria da Penha. O objetivo é divulgar e orientar sobre a operação que presta serviço especializado no atendimento e acompanhamento de crimes contra a mulher.

    As equipes atuam no atendimento às ocorrências de assédio, agressão, ameaças e outros tipos penais contra a mulher, oferecendo as condições para que as vítimas apresentem suas denúncias ou representações. Assim como realizado em Goiânia, as clientes do transporte coletivo receberão cartilhas do Ministério Público e OAB explicando como e onde realizar denúncias.

    Comandante do 46ª CIPM de Aparecida de Goiânia, o major Núcio Guedes da Paixão considera importante realizar operações como essa em um local com grande fluxo de pessoas. “É uma forma de alcançar maior número de mulheres para que denunciem, orientando o passo a passo do que se deve fazer” afirma.

  • Usuários aprovam ação da Polícia Militar e retirada dos camelôs dos terminais de ônibus da grande Goiânia

    16/03/2018 Categoria: Segurança

    Devido a ampla repercussão sobre a Operação “Não Entra”, ação da Polícia Militar que visa orientar e coibir a atuação dos camelôs nos terminais de ônibus, o RedeMob consórcio realizou uma pesquisa com 433 usuários do transporte público coletivo, no dia 14 de março, das 14h às 20h, nos terminais Praça da Bíblia, Dergo, Novo Mundo, Padre Pelágio e Praça A. A pesquisa tem 95% de confiabilidade e 5% de margem de erro.

    81,3% dos usuários entendem que a presença dos camelôs torna os terminais mais desorganizados e inseguros e 96,8% aprovam a atuação da Polícia Militar nos terminais de ônibus da grande Goiânia, tornando-os mais seguros e organizados.

    Conclui-se que a atuação da Polícia Militar está no caminho certo e a população, em especial o usuário do transporte coletivo, agradece.

Categorias

Posts recentes

Tags