• Transporte em foco: prioridade para o coletivo

    08/08/2014 Categoria: trânsito

    Compartilhar/Favoritos

    Série de reportagens do jornal O Hoje propõe abordagem mais profunda sobre transporte público e discute soluções efetivas para os problemas de mobilidade urbana da Região Metropolitana de Goiânia

    Congestionamento Av. Paranaíba Desde o último dia 5, diversos assuntos relacionados ao trânsito e à mobilidade urbana na Grade Goiânia vêm sendo debatidos por especialistas e autoridades da área de forma esclarecedora na série de reportagens Transporte em Foco, produzida pelo jornal O Hoje. As matérias se aprofundam na busca de possíveis soluções para o tema, superando a postura comumente assumida por grande parte dos veículos de imprensa locais e nacionais, de focar nos problemas e procurar culpados.

    As quatro matérias publicadas até esta sexta-feira destacam questões como a necessidade de se priorizar o transporte coletivo, a influência do trânsito mal sinalizado na locomoção dos pedestres e deixam claro que o aumento da frota de ônibus sem uma efetiva mudança estrutural nos espaços urbanos não é capaz de resolver os problemas de atrasos e superlotação.

    Pesquisa feita pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) mostra que os gastos do transporte individual são maiores que as despesas com transporte coletivo, embora a proporção do número de pessoas que se locomovem diariamente através destes meios seja justamente o inverso. Os estudos e a experiência dos grandes centros urbanos que se tornaram referência em mobilidade urbana mostram a importância de se investir nos modos coletivos como única alternativa para a saturação do sistema viário nas cidades.

    Antenor Pinheiro, coordenador regional da ANTP, fala da possibilidade de haver a regulação para uso dos carros e da urgência em interromper os incentivos para a compra de novos veículos individuais. A solução estaria também na construção de corredores exclusivos para ônibus, que possibilitariam viagens mais rápidas e cumprimento dos horários com maior eficácia. A proposta pode começar a se tornar realidade em Goiânia ainda nos próximos meses, com os novos corredores preferenciais que serão implantados em cinco pontos estratégicos da capital.

    A série Transporte em Foco traz ainda declarações da arquiteta e urbanista Erika Cristine Kneib, mestre e doutora em Transportes. Segundo ela, o aumento do número de ônibus pode ajudar desde que haja infraestrutura adequada. A respeito dos corredores exclusivos, Erika ressalta que essa é uma decisão acertada e que os corredores são fundamentais para a mobilidade. “Melhor ainda se integrada a uma rede cicloviária inteligente e sistemas de calçadas seguras”, acrescenta.

    O direito dos pedestres é pouco lembrado em meio a tantas discussões sobre mobilidade urbana, porém, além de mostrar as queixas de motoristas e de usuários do transporte coletivo sobre este assunto, o Jornal O Hoje destacou as dificuldades enfrentadas pelos pedestres ao circular pelas calçadas repletas de buracos, lixo amontoado e carros estacionados de maneira irregular.

    Para o jornalista e gestor de Relacionamento do Consórcio Rmtc, Marcos Villas Boas, reportagens que aprofundam a discussão sobre a mobilidade urbana enriquecem o debate e dão à sociedade mais conhecimento sobre questões que normalmente não são consideradas. “A imprensa deve atuar de forma ética e responsável na produção de informações que sejam capazes de promover mobilização e transformação social. Quanto maior for a compreensão da sociedade sobre os assuntos que a envolvem, maior será sua capacidade de cobrar e agir efetivamente pela construção de novas ideias em busca do melhor funcionamento das cidades”, destacou.

    Todas as reportagens da série estão disponíveis no portal do jornal O Hoje:

    Prioridade para o coletivo

    Pedestre ainda não é prioridade

    Mais veículos não resolvem problema do transporte

    Corredores preferenciais para amenizar o trânsito

    Transporte e mobilidade: que caminho Goiânia segue?

  • NTU lança campanha para qualificar transporte público

    18/11/2013 Categoria: trânsito

    NTU Faixa Exclusiva

    O Programa Emergencial de Qualificação do Transporte Público por Ônibus, apresentado pela NTU como proposta ao governo federal, contempla pilares estratégicos para melhorar e qualificar, em curto prazo, o transporte público nas cidades brasileiras. Essa proposta é alvo da Campanha Nacional de Qualificação das Redes Convencionais de Transporte Público Urbano que a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) lançou no início de novembro, como uma de suas ações para buscar a qualificação dos serviços de ônibus.

    A proposta da NTU se insere dentro das oito medidas para melhoria do transporte público coletivo urbano no Brasil, apresentadas pela entidade em manifestação pública à sociedade, no último mês de julho. Além disso, medida idêntica foi contemplada em uma resolução aprovada no mês de outubro pelo Conselho das Cidades que recomenda proposta ao governo federal para o Pacto Nacional pela Mobilidade Urbana.

    “Com a proposta nossa intenção é melhorar a qualidade dos serviços e reduzir os custos de operação, com a implantação de quatro mil quilômetros de faixas exclusivas em 46 municípios, todas as capitais e cidades com população superior a 500 mil habitantes, nos próximos 12 meses”, esclarece o presidente da NTU, Otávio Cunha.

    Nessa linha, o programa proposto inclui a construção de faixas exclusivas de ônibus, com fiscalização eletrônica em tempo integral e melhorias nos pontos de parada, incluindo painéis de informações sobre rotas e horários dos coletivos. Esses projetos demandam soluções tecnológicas simples, sem intervenções físicas relevantes e com retorno imediato para o usuário.

  • Central controla operação do transporte coletivo

    08/10/2012 Categoria: trânsito

    Controlar o andamento da operação das viagens das linhas da Região Metropolitana de Goiânia, orientar os motoristas quanto a procedimentos a serem seguidos e receber informações em tempo real sobre fatores que afetam a operação é trabalho da Central Controle Operacional da RMTC

    Controladores acompanham em tempo real o que acontece nas linhas

    A primeira central de controle de transporte coletivo no Brasil, a CCO da RMTC, visualiza, controla e orienta a operação em tempo real, desde 2009. Responsável em controlar o cumprimento da rota e dos horários dos ônibus, analisar eventualidades que podem prejudicar o fluxo da viagem e implantar ações que podem diminuir o impacto destas na operação, a equipe representa uma ligação direta entre os motoristas e os acontecimentos do trânsito; fornecendo informações substanciais tanto para o planejamento e gerenciamento da operação, como para a alimentação de canais de comunicação com clientes e demais públicos da Rede.

  • Índice exclusivo mede velocidade do trânsito nas vias principais da grande Goiânia

    13/09/2012 Categoria: trânsito

    Ferramenta permitirá que motoristas consultem, na internet, percurso com melhor fluidez até o destino final a qualquer hora do dia

    Pelo computador ou celular, é possível consultar, em tempo real, as condições de fluidez do trânsito nas principais avenidas e ruas de Goiânia e Região Metropolitana

    Na próxima segunda-feira (17) o Consórcio Rmtc lança oficialmente a ferramenta para informação sobre a velocidade média do trânsito nas principais vias da capital. O índice PontoaPonto mostrará,  a qualquer dia e horário da semana, o índice de velocidade média dos veículos particulares e do transporte coletivo em uma determinada via ou trecho selecionado. A ferramenta também irá informar sobre fatores externos que podem influenciar o trânsito de uma determinada região, como acidentes, obras, interrupções ou desvio de tráfego, entre outras.

  • Corredor Universitário melhora em até 48% velocidade média dos ônibus

    31/08/2012 Categoria: trânsito

    Intervenção no corredor Universitário já aumentou a velocidade dos ônibus

     

    O resultado apurado após a construção de um corredor preferencial para o transporte coletivo no Eixo Universitário já confirma a teoria de que a cidade pode ter um ganho significativo com a priorização do transporte público. Em apenas 2,1km de extensão já foi possível um aumento na velocidade média dos ônibus que pode chegar a 48,4% no horário de maior pico do trânsito. Entre 17 e 19 horas, uma viagem que demorava 24 minutos para ida e volta caiu para 19 minutos no mesmo ciclo fechado.

Categorias

Tópicos recentes

Enquete

  • Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Tags