• RMTC, poder público e entidades discutem transporte coletivo em Goiânia

    29/09/2017 Categoria: Mobilidade Urbana

    Share

    (Foto: Letícia Coqueiro / A Redação)

    Os problemas enfrentados pelos usuários do transporte coletivo, as propostas para melhorias do trânsito e os desafios da mobilidade urbana foram os temas debatidos durante um encontro, na tarde desta quinta-feira (28/9), promovido pela Organização Jaime Câmara, em Goiânia.

    Presente no encontro, o diretor executivo da Rede Metropolitana do Transporte Coletivo (RMTC), Leomar Avelino, explicou ao jornal A Redação que um dos principais desafios enfrentados pelas empresas que prestam o serviço de transporte público na Grande Goiânia são os vácuos residenciais nas regiões mais periféricas.

    (Foto: Letícia Coqueiro / A Redação)

    “A baixa densidade demográfica em algumas regiões prejudica muito o transporte público coletivo porque os ônibus buscam poucas pessoas muito longe e, consequentemente, realiza menos viagens. Quanto mais adensados os bairros na cidade, melhor vai funcionar o transporte público coletivo”, explicou.

    Leomar Avelino concluiu dizendo que políticas públicas voltadas para a fluidez do trânsito colaboram com as empresas. “Se os ônibus conseguem trafegar em uma velocidade maior, temos condição de aumentar a quantidade de viagens para os passageiros e, como consequência, melhoramos o problema da superlotação no transporte público”.

    O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), também participou do encontro e se declarou “feliz” com a iniciativa. “Ver que não é só a prefeitura que está preocupada com o transporte coletivo em Goiânia me encoraja muito porque sinto que não estou sozinho”, disse ao AR.

    O chefe do executivo municipal reconheceu que a mobilidade urbana é um dos gargalos de Goiânia e ressaltou que a prefeitura investe em estudos sobre escalonamento do horário comercial. Para Iris, alternar os horários de funcionamento dos comércios é uma das soluções para o problema do trânsito na capital.

    (Foto: Letícia Coqueiro / A Redação)

    “Estabelecer a chegada alternada dos trabalhadores em seus locais de trabalho e dos estudantes em suas escolas melhoraria muito a fluidez do trânsito. Todo mundo saindo de casa no mesmo horário deixa o trânsito caótico. É uma mudança de comportamento da população, e vamos investir nessa ideia”, concluiu o prefeito.

    O transporte público na Grande Goiânia é de responsabilidade de cinco empresas, que formam a Rede Metropolitana do Transporte Coletivo. O grupo atende 18 municípios, da região metropolitana, e transporta diariamente cerca de 300 mil pessoas.

    Fonte: A Redação, confira aqui