• Frota do CityBus 2.0 recebe 28 novos veículos

    21/02/2020 Categoria: CityBus 2.0

    Mais 28 novos veículos se somarão aos 40 miniônibus para atender demanda na área em atendimento. O incremento faz parte do plano de consolidação e expansão do serviço durante 2020

    CityBus 2.0 ganhou reforço de 28 novos veículos

    Recém completado um ano de operação do CityBus 2.0, a HP Transportes acaba de receber 28 novos carros, que vão incrementar a frota já existente, atualmente de 40 miniônibus. Além dos modelos já utilizados da marca Mercedes Benz, novos veículos das marcas Renault e Citroën, com catorze e oito lugares respectivamente, também passarão a fazer parte da frota e passaram a ser testados a partir do dia 20. O incremento vem cumprir o plano de consolidação e expansão do serviço que vai ocorrer em 2020. Além disso, ainda no primeiro semestre deste ano novos bairros devem ser atendidos em uma nova expansão. “Assim como as outras expansões e todas as melhorias que fizemos partiram a partir dos pedidos e sugestões dos nossos clientes, estamos estudando os setores com maiores solicitações para viabilizar a ampliação da operação”, explica Hugo Santana, diretor de transportes da HP Transportes.

    Um ano de CityBus

    Inicialmente em período de testes, com 15 miniônibus e abrangendo 11 bairros do centro da capital, em julho a operação do CityBus 2.0 foi consolidada com a sua primeira expansão para mais 13 bairros, passando a atender um perímetro de aproximadamente 40,8 quilômetros quadrados. Em novembro, mais cinco bairros foram contemplados com nova expansão, passando o serviço a atender uma área total de 43 quilômetros.

    Durante um ano, a frota do CityBus 2.0 percorreu uma distância total de 1.172.095 quilômetros, um percurso equivalente a três idas à lua. Nesse período, estima-se que o serviço tenha retirado 6.500 veículos das ruas da capital de Goiás, já que 81% dos clientes do CityBus 2.0 vieram de modos individuais (carro, moto, apps e outros), segundo apurou pesquisa realizada por discentes de mestrado em Transportes da Universidade Nacional de Brasília (UNB), comprovando a tendência de troca de carros e transporte individual pelo serviço coletivo por aplicativo.

    O serviço é avaliado pelos clientes em 4,9, numa escala de 1 a 5 estrelas. Dentre os itens mais bem avaliados estão a conduta dos motoristas, que permanece em primeiro lugar, seguido de conforto e limpeza dos miniônibus, rotas e paradas do trajeto. Além disso, 98% dos clientes indicam o serviço. A influenciadora digital Cláudia Cristina Soares de Souza, de 40 anos, conheceu o CityBus 2.0 através de reportagens na TV, e considera o serviço prático, seguro e rápido e recomenda. “Indicaria sim, principalmente para que o serviço cresça e tenha continuidade”, afirma Cláudia, que sempre o utiliza sozinha ou com o marido e os filhos. 

    O bancário Maurício Acedo de Aquino utiliza o serviço desde o lançamento e, após as expansões, aumentou seu número de viagens de duas para em torno de 10 por semana, para trabalho e lazer com a família. Ele considera o serviço um ótimo custo benefício por tudo que ele entrega. “Como um transporte coletivo, ele é muito bem executado, não somente pelo custo benefício. Além do conforto e conveniência, o atendimento de todos os motoristas é espetacular. Eu nunca tive ocorrência negativa, sempre fui muito bem atendido e com muita cordialidade”, considera, completando o importante papel do serviço para a mobilidade da cidade. “O serviço coletivo do Citybus 2.0 nos faz repensar ainda mais as necessidades de ter um automóvel como um bem, já que as cidades não estão preparadas para o aumento constante do transporte individual, e logo o ‘sistema de mobilidade do Brasil’, das grandes cidades, vai travar se a conscientização não mudar”.

    Modelo já se tornou referência de mobilidade em Goiânia

    Modelo é referência

    O CityBus 2.0 é uma aposta da HP Transportes, empresa que atua no segmento de transporte público coletivo na Região Metropolitana de Goiânia, e da Via, a principal desenvolvedora mundial de transporte público sob demanda. O serviço é resultado de uma longa jornada de inovação com o objetivo de transformar o transporte público, a visão de goianiense sobre o transporte público e contribuir para a melhoria da mobilidade urbana.

    A iniciativa em Goiânia tem sido referência para outras cidades no país. Em dezembro, Fortaleza implementou o TopBus +, um serviço de transporte público sob demanda, semelhante ao CityBus 2.0, e também operado pela Via.  A iniciativa do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) tornou a capital cearense a segunda cidade brasileira a oferecer esse serviço.

    Em abril, está prevista a implantação do CityBus DF, que inicialmente circulará na região de Samambaia, Recanto das Emas e Riacho Fundo II. A operação será feita pela Urbi Mobilidade Urbana, empresa do grupo HP Transportes. “Queremos levar para o Distrito Federal a experiência do CityBus e uma nova cultura de mobilidade. Na medida em que o nosso cliente deixa seu carro em casa e viaja conosco, pode aproveitar o tempo do percurso para trabalhar, ler, conversar, e ainda contribuir para um trânsito melhor na cidade”, explica Indiara Ferreira, diretora executiva da HP Transportes.

    “Goiânia, Fortaleza e o Distrito Federal são agora três das quase 100 cidades parceiras da Via em todo o mundo que fornece transporte público sob demanda. Assim como a CMTC (Câmara Metropolitana de Transporte Coletivo), outros órgãos gestores públicos que usam a tecnologia da Via incluem o Metrô de Los Angeles, o Transport for London (TfL), o Transport for New South Wales (TfNSW), de Sydney, e o Berliner Verkehrsbetriebe (BVG) de Berlim”, pontua o co-fundador e CEO da Via, Daniel Ramot.

  • NTU destaca aniversário de 1 ano do CityBus 2.0

    12/02/2020 Categoria: CityBus 2.0

    Em Goiânia, modelo de transporte já atende a quase 40 bairros e promete nova expansão. Experiência já deu frutos em Fortaleza e prepara sua entrada no Distrito Federal

    Primeiro transporte público coletivo sob demanda da América Latina, o CityBus 2.0 iniciou sua operação em Goiânia no dia 11 de fevereiro de 2019, completando nesse mês seu primeiro ano de serviço. Nesse período, muitas conquistas, mas também muitos desafios para que o serviço, inédito, conquistasse a confiança dos goianienses e a credibilidade de outros Estados, que hoje querem seguir o modelo de serviço implantado em Goiânia.

    O CityBus 2.0 é uma aposta da HP Transportes, empresa do segmento de transporte público coletivo que atua na Região Metropolitana de Goiânia. O serviço é o resultado de uma longa jornada de inovação com o objetivo de transformar o transporte público coletivo, a visão do goianiense sobre transporte coletivo e contribuir para a melhoria da mobilidade urbana.

    Inicialmente em período de testes, com 15 miniônibus e abrangendo 11 bairros do centro da capital. Em julho a operação do CityBus 2.0 foi consolidada com a sua primeira expansão para mais 13 bairros, passando a atender um perímetro de aproximadamente 40,8 quilômetros quadrados. Em novembro, mais cinco bairros foram contemplados com nova expansão, passando o serviço a atender uma área total de 43 quilômetros.

    Durante um ano, a frota do CityBus 2.0, que hoje conta com 40 veículos, percorreu uma distância total de 1.172.095 quilômetros, um percurso equivalente a três idas à lua. Nesse período, estima-se que o serviço tenha retirado 6.500 veículos das ruas da capital de Goiás, já que 81% dos clientes do CityBus 2.0 vieram de modos individuais (carro, moto, apps e outros), segundo apurou pesquisa realizada por discentes de mestrado em Transportes da Universidade Nacional de Brasília (UNB), comprovando a tendência de troca de carros e transporte individual pelo serviço coletivo por aplicativo.

    Precisa caminhar só um pouquinho

    O CityBus 2.0 pode ser considerado um serviço de esquina a esquina, já que o cliente precisa se deslocar, em média, 130 metros para encontrar o transporte no ponto virtual de embarque e desembarque. Todos esses passinhos ao longo de um ano geraram um gasto de 13.187 calorias, considerando a soma das distâncias por todas as pessoas para embarque e desembarque em um ano de serviço.

    “Como o serviço é coletivo, o cliente tem que se deslocar alguns metros para aguardar o transporte. Isso garante viagens mais rápidas em percursos mais otimizados. Durante o dia são apenas alguns passos, às vezes, menos até do que costumamos andar entre o local em que estacionamos o carro e nosso destino. E à noite ainda tentamos reduzir essa distância para melhorar a segurança dos passageiros”, pontua Hugo Santana, diretor de transportes da HP Transportes.

    Melhorias e avaliação

    À medida que o serviço foi se desenvolvendo, os miniônibus foram aperfeiçoados a partir da vivência e das sugestões dos clientes. Os veículos com assentos confortáveis e ar condicionado ganharam carregadores de tomada e USB para celulares e câmeras de segurança para monitoramento das viagens, oferecendo segurança para motoristas e clientes. Os passageiros passaram a contar duas possibilidades ETA – Estimated time of arrival (em português, tempo estimado de chegada), para escolher e poder planejar sua viagem com antecedência. Houve ainda o incremento do serviço aos domingos, atendendo também pedidos de clientes.

    O bancário Maurício Acedo de Aquino utiliza o serviço desde o lançamento e, após as expansões, aumentou seu número de viagens de duas para em torno de 10 por semana, para trabalho e lazer com a família. Ele considera o serviço um ótimo custo benefício por tudo que ele entrega. “Como um transporte coletivo, ele é muito bem executado, não somente pelo custo benefício. Além do conforto e conveniência, o atendimento de todos os motoristas é espetacular. Eu nunca tive ocorrência negativa, sempre fui muito bem atendido e com muita cordialidade”, considera, completando o importante papel do serviço para a mobilidade da cidade. “O serviço coletivo do Citybus 2.0 nos faz repensar ainda mais as necessidades de ter um automóvel como um bem, já que as cidades não estão preparadas para o aumento constante do transporte individual, e logo o ‘sistema de mobilidade do Brasil’, das grandes cidades, vai travar se a conscientização não mudar”.

    O serviço já registra 80 mil clientes cadastrados nas plataformas iOS e Android e seu app tem excelente avaliação nas lojas virtuais, 4.8, assim como o serviço, com avaliação dos clientes em 4,9, numa escala de 1 a 5 estrelas. Dentre os itens mais bem avaliados estão a conduta dos motoristas, que permanece em primeiro lugar, seguido de conforto e limpeza dos miniônibus, rotas e paradas do trajeto. Além disso, 98% dos clientes indicam o serviço. A influenciadora digital Cláudia Cristina Soares de Souza, de 40 anos, conheceu o CityBus 2.0 através de reportagens na TV, e considera o serviço prático, seguro e rápido e recomenda. “Indicaria sim, principalmente para que o serviço cresça e tenha continuidade”, afirma Cláudia, que sempre o utiliza sozinha ou com o marido e os filhos. 

    O empresário Leonardo Coifman afirma que, além de utilizar o serviço desde a implantação, sempre divulga entre seus conhecidos. “Há momentos que fica mais viável utilizar o CityBus 2.0 do que um uber. Isso é muito melhor, inclusive em relação aos gastos com um automóvel próprio”, avalia.

    Modelo é referência

    A iniciativa em Goiânia é referência para outras cidades no país. Em dezembro, Fortaleza implantou o TopBus+, serviço de transporte público coletivo sob demanda, similar ao CityBus 2.0. A iniciativa do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) tornou a capital cearense a segunda cidade brasileira a oferecer esse serviço. Em abril, está prevista a implantação do CityBus DF, que inicialmente circulará na região de Samambaia, Recanto das Emas e Riacho Fundo II. A operação será feita pela Urbi Mobilidade Urbana, empresa do grupo HP Transportes. “Queremos levar para o Distrito Federal a experiência do CityBus e uma nova cultura de mobilidade. Na medida em que o nosso cliente deixa seu carro em casa e viaja conosco, pode aproveitar o tempo do percurso para trabalhar, ler, conversar, e ainda contribuir para um trânsito melhor na cidade”, explica Indiara Ferreira, diretora executiva da HP Transportes.

    Ainda no primeiro semestre deste ano novos bairros devem ser atendidos em uma nova expansão. “Assim como as outras expansões e todas as melhorias que fizemos partiram a partir dos pedidos e sugestões dos nossos clientes, estamos estudando os setores com maiores solicitações para viabilizar a ampliação da operação”, adianta Santana.

    Números do CityBus 2.0 em um ano

    Clientes cadastrados: Mais de 80 mil cadastros: volume capaz de lotar quase dois Estádios Serra Dourada (capacidade para até 50.049 pessoas)

    Avaliação do Serviço: 4,9 Estrelas. 98% dos clientes que usam, indicam.

    Distância Percorrida: 1.172.095 Km. Daria para ir à Lua 3 vezes (Distância da Terra à Lua: 384.403 Km)

    Calorias Queimadas: 13.187 Kcal (soma de toda a distância de caminhada para embarque e desembarque até o destino selecionado de todos os clientes ao longo de 1 ano de operação). Equivale queimar as calorias de mais de 440 mil pequis (Considerando a polpa de um caroço de pequi: 30 calorias)

    Quantidade de veículos retirados das ruas: 6.500. Daria pra lotar todo o estacionamento do Estádio Serra Dourada e ainda sobrariam 500 veículos estacionados ao redor. (Estádio Serra Dourada: capacidade para estacionar até 6 mil veículos).

    CO2 não emitidos na atmosfera: 64 toneladas, o equivalente a absorção de CO2 de mais de 392.638 árvores adultas da Mata Atlântica. (Árvores da Mata Atlântica: em fase adulta chegam a retirar até 163Kg de CO2 da atmosfera).

    Bairros atendidos pelo CityBus:

    Setor Central

    Setor Universitário

    Setor Sul

    Setor Marista

    Setor Bela Vista

    Vila São João

    Vila Maria José

    Jardim Goiás

    Setor Nova Vila

    Setor Oeste

    Setor Bueno

    Alto da Glória

    Parque Amazônia

    Serrinha

    Nova Suíça

    Setor Areião

    Conjunto Vila Isabel

    Jardim da Luz

    Vila Redenção

    Jardim América

    Setor Pedro Ludovico

    Vila Rosa

    Jardim Atlântico

    Vila Divino Pai Eterno

    Setor dos Afonsos

    Vila São Tomaz

    Setor Coimbra

    Vila Alpes

    Vila Bela

    Setor Norte Ferroviário

    Vila União

    Vila Lucy

    Setor Sudoeste

    Jardim Europa

    Vila Santa Efigênia

    Sobre o CityBus 2.0

    O CityBus 2.0 funciona de segunda-feira a quinta-feira, das 6 às 23 horas, sexta e sábado, das 6 horas até meia-noite e meia, e domingo das 8 às 22h20. Percorre cerca de 40 bairros, entre eles os setores Central, Sul, Universitário, Oeste, setor Aeroporto, Marista, Bueno, Bela Vista, Serrinha, Pedro Ludovico, Nova Suíça, Jardim Goiás, Alto da Glória, Vila Redenção, Jardim América, Parque Amazônia, Jardim Atlântico, Vila Alpes e Vila Rosa. O cliente pode fazer a avaliação pelo próprio aplicativo ao final da viagem ou pelas redes sociais “CITYBUSBR” no Facebook, Instagram e Twitter.  O download do app está disponível nos smartphones para os sistemas Android e iOS. Após o cadastro, poderá solicitar a sua viagem e se deslocar para o ponto virtual indicado no aplicativo, onde fará o embarque para utilizar o serviço.

    Disponível em http://www.ntu.org.br/novo/NoticiaCompleta.aspx?idArea=10&idNoticia=1286

  • CityBus 2.0 completa um ano com 80 mil clientes

    11/02/2020 Categoria: CityBus 2.0,Por dentro da Rede

    Em Goiânia, modelo de transporte já atende a quase 40 bairros e promete nova expansão. Experiência já deu frutos em Fortaleza e prepara sua entrada no Distrito Federal

    Primeiro transporte público coletivo sob demanda da América Latina, o CityBus 2.0 iniciou sua operação em Goiânia no dia 11 de fevereiro de 2019, completando nesse mês seu primeiro ano de serviço. Nesse período, muitas conquistas, mas também muitos desafios para que o serviço, inédito, conquistasse a confiança dos goianienses e a credibilidade de outros Estados, que hoje querem seguir o modelo de serviço implantado em Goiânia.

    O CityBus 2.0 é uma aposta da HP Transportes, empresa do segmento de transporte público coletivo que atua na Região Metropolitana de Goiânia. O serviço é o resultado de uma longa jornada de inovação com o objetivo de transformar o transporte público coletivo, a visão do goianiense sobre transporte coletivo e contribuir para a melhoria da mobilidade urbana.

    Inicialmente em período de testes, com 15 miniônibus e abrangendo 11 bairros do centro da capital. Em julho a operação do CityBus 2.0 foi consolidada com a sua primeira expansão para mais 13 bairros, passando a atender um perímetro de aproximadamente 40,8 quilômetros quadrados. Em novembro, mais cinco bairros foram contemplados com nova expansão, passando o serviço a atender uma área total de 43 quilômetros.

    Durante um ano, a frota do CityBus 2.0, que hoje conta com 40 veículos, percorreu uma distância total de 1.172.095 quilômetros, um percurso equivalente a três idas à lua. Nesse período, estima-se que o serviço tenha retirado 6.500 veículos das ruas da capital de Goiás, já que 81% dos clientes do CityBus 2.0 vieram de modos individuais (carro, moto, apps e outros), segundo apurou pesquisa realizada por discentes de mestrado em Transportes da Universidade Nacional de Brasília (UNB), comprovando a tendência de troca de carros e transporte individual pelo serviço coletivo por aplicativo.

    Precisa caminhar só um pouquinho

    O CityBus 2.0 pode ser considerado um serviço de esquina a esquina, já que o cliente precisa se deslocar, em média, 130 metros para encontrar o transporte no ponto virtual de embarque e desembarque. Todos esses passinhos ao longo de um ano geraram um gasto de 13.187 calorias, considerando a soma das distâncias por todas as pessoas para embarque e desembarque em um ano de serviço.

    “Como o serviço é coletivo, o cliente tem que se deslocar alguns metros para aguardar o transporte. Isso garante viagens mais rápidas em percursos mais otimizados. Durante o dia são apenas alguns passos, às vezes, menos até do que costumamos andar entre o local em que estacionamos o carro e nosso destino. E à noite ainda tentamos reduzir essa distância para melhorar a segurança dos passageiros”, pontua Hugo Santana, diretor de transportes da HP Transportes.

    Melhorias e avaliação

    À medida que o serviço foi se desenvolvendo, os miniônibus foram aperfeiçoados a partir da vivência e das sugestões dos clientes. Os veículos com assentos confortáveis e ar condicionado ganharam carregadores de tomada e USB para celulares e câmeras de segurança para monitoramento das viagens, oferecendo segurança para motoristas e clientes. Os passageiros passaram a contar duas possibilidades ETA – Estimated time of arrival (em português, tempo estimado de chegada), para escolher e poder planejar sua viagem com antecedência. Houve ainda o incremento do serviço aos domingos, atendendo também pedidos de clientes.

    O bancário Maurício Acedo de Aquino utiliza o serviço desde o lançamento e, após as expansões, aumentou seu número de viagens de duas para em torno de 10 por semana, para trabalho e lazer com a família. Ele considera o serviço um ótimo custo benefício por tudo que ele entrega. “Como um transporte coletivo, ele é muito bem executado, não somente pelo custo benefício. Além do conforto e conveniência, o atendimento de todos os motoristas é espetacular. Eu nunca tive ocorrência negativa, sempre fui muito bem atendido e com muita cordialidade”, considera, completando o importante papel do serviço para a mobilidade da cidade. “O serviço coletivo do Citybus 2.0 nos faz repensar ainda mais as necessidades de ter um automóvel como um bem, já que as cidades não estão preparadas para o aumento constante do transporte individual, e logo o ‘sistema de mobilidade do Brasil’, das grandes cidades, vai travar se a conscientização não mudar”.

    O serviço já registra 80 mil clientes cadastrados nas plataformas iOS e Android e seu app tem excelente avaliação nas lojas virtuais, 4.8, assim como o serviço, com avaliação dos clientes em 4,9, numa escala de 1 a 5 estrelas. Dentre os itens mais bem avaliados estão a conduta dos motoristas, que permanece em primeiro lugar, seguido de conforto e limpeza dos miniônibus, rotas e paradas do trajeto. Além disso, 98% dos clientes indicam o serviço. A influenciadora digital Cláudia Cristina Soares de Souza, de 40 anos, conheceu o CityBus 2.0 através de reportagens na TV, e considera o serviço prático, seguro e rápido e recomenda. “Indicaria sim, principalmente para que o serviço cresça e tenha continuidade”, afirma Cláudia, que sempre o utiliza sozinha ou com o marido e os filhos. 

    O empresário Leonardo Coifman afirma que, além de utilizar o serviço desde a implantação, sempre divulga entre seus conhecidos. “Há momentos que fica mais viável utilizar o CityBus 2.0 do que um uber. Isso é muito melhor, inclusive em relação aos gastos com um automóvel próprio”, avalia.

    Modelo é referência

    A iniciativa em Goiânia é referência para outras cidades no país. Em dezembro, Fortaleza implantou o TopBus+, serviço de transporte público coletivo sob demanda, similar ao CityBus 2.0. A iniciativa do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) tornou a capital cearense a segunda cidade brasileira a oferecer esse serviço. Em abril, está prevista a implantação do CityBus DF, que inicialmente circulará na região de Samambaia, Recanto das Emas e Riacho Fundo II. A operação será feita pela Urbi Mobilidade Urbana, empresa do grupo HP Transportes. “Queremos levar para o Distrito Federal a experiência do CityBus e uma nova cultura de mobilidade. Na medida em que o nosso cliente deixa seu carro em casa e viaja conosco, pode aproveitar o tempo do percurso para trabalhar, ler, conversar, e ainda contribuir para um trânsito melhor na cidade”, explica Indiara Ferreira, diretora executiva da HP Transportes.

    Ainda no primeiro semestre deste ano novos bairros devem ser atendidos em uma nova expansão. “Assim como as outras expansões e todas as melhorias que fizemos partiram a partir dos pedidos e sugestões dos nossos clientes, estamos estudando os setores com maiores solicitações para viabilizar a ampliação da operação”, adianta Santana.

    Números do CityBus 2.0 em um ano

    Clientes cadastrados: Mais de 80 mil cadastros: volume capaz de lotar quase dois Estádios Serra Dourada (capacidade para até 50.049 pessoas)

    Avaliação do Serviço: 4,9 Estrelas. 98% dos clientes que usam, indicam.

    Distância Percorrida: 1.172.095 Km. Daria para ir à Lua 3 vezes (Distância da Terra à Lua: 384.403 Km)

    Calorias Queimadas: 13.187 Kcal (soma de toda a distância de caminhada para embarque e desembarque até o destino selecionado de todos os clientes ao longo de 1 ano de operação). Equivale queimar as calorias de mais de 440 mil pequis (Considerando a polpa de um caroço de pequi: 30 calorias)

    Quantidade de veículos retirados das ruas: 6.500. Daria pra lotar todo o estacionamento do Estádio Serra Dourada e ainda sobrariam 500 veículos estacionados ao redor. (Estádio Serra Dourada: capacidade para estacionar até 6 mil veículos).

    CO2 não emitidos na atmosfera: 64 toneladas, o equivalente a absorção de CO2 de mais de 392.638 árvores adultas da Mata Atlântica. (Árvores da Mata Atlântica: em fase adulta chegam a retirar até 163Kg de CO2 da atmosfera).

    Bairros atendidos pelo CityBus:

    Setor Central
    Setor Universitário
    Setor Sul
    Setor Marista
    Setor Bela Vista
    Vila São João
    Vila Maria José
    Jardim Goiás
    Setor Nova Vila
    Setor Oeste
    Setor Bueno
    Alto da Glória
    Parque Amazônia
    Serrinha
    Nova Suíça
    Setor Areião
    Conjunto Vila Isabel
    Jardim da Luz
    Vila Redenção
    Jardim América
    Setor Pedro Ludovico
    Vila Rosa
    Jardim Atlântico
    Vila Divino Pai Eterno
    Setor dos Afonsos
    Vila São Tomaz
    Setor Coimbra
    Vila Alpes
    Vila Bela
    Setor Norte Ferroviário
    Vila União
    Vila Lucy
    Setor Sudoeste
    Jardim Europa
    Vila Santa Efigênia

    Sobre o CityBus 2.0

    O CityBus 2.0 funciona de segunda-feira a quinta-feira, das 6 às 23 horas, sexta e sábado, das 6 horas até meia-noite e meia, e domingo das 8 às 22h20. Percorre cerca de 40 bairros, entre eles os setores Central, Sul, Universitário, Oeste, setor Aeroporto, Marista, Bueno, Bela Vista, Serrinha, Pedro Ludovico, Nova Suíça, Jardim Goiás, Alto da Glória, Vila Redenção, Jardim América, Parque Amazônia, Jardim Atlântico, Vila Alpes e Vila Rosa. O cliente pode fazer a avaliação pelo próprio aplicativo ao final da viagem ou pelas redes sociais “CITYBUSBR” no Facebook, Instagram e Twitter.  O download do app está disponível nos smartphones para os sistemas Android e iOS. Após o cadastro, poderá solicitar a sua viagem e se deslocar para o ponto virtual indicado no aplicativo, onde fará o embarque para utilizar o serviço.

  • HP Transportes contrata motoristas mulheres para CityBus 2.0

    10/02/2020 Categoria: CityBus 2.0

    Entre os pré-requisitos, os candidatos devem ter habilitacão D ou E e habilidades com dispositivos mobile para condução do CityBus 2.0

    Motorista Keila Vieira, profissional do CityBus 2.0

    A HP Transportes está com 18 vagas abertas para motoristas categoria D ou E para a operação do CityBus 2.0. As vagas são preferencialmente para mulheres. As inscrições devem ser feitas de segunda a sexta-feira, às 8h30 na sede da empresa.

    Entre os pré-requisitos, é desejável que os candidatos tenham curso de condutores de veículos de transporte coletivo de passageiros, experiência como motorista de veículos pesados (ônibus, caminhão ou miniônibus), ter habilidades com dispositivos mobile (celular e tablet) e, de preferência, ensino médio completo.

    A jornada é de 44 horas semanais para a condução do CityBus 2.0. A remuneração total pode chegar a R$2.266,51, sendo R$ 1.247,28 de salário, vale alimentação de R$ 719,23 e bonificação variável de até R$ 300,00 referente à avaliação do serviço, plano de saúde e passe livre.

    Os interessados devem portar documentos pessoais (RG, CNH e carteira de trabalho), juntamente à cópia do certificado do curso de condutores de veículo de transporte coletivo de passageiros. As vagas também estão disponíveis para Pessoas com deficiência (PCDs). 

    Serviço:
    HP Transportes contrata motoristas
    Horário: às 8h30
    Local: HP Transportes – Av. Alpes, nº 450, setor União, Goiânia, GO.

  • Obras do BRT alteram trajeto de linhas na Praça do Cruzeiro

    07/02/2020 Categoria: Desvio de rota,Mobilidade Urbana,Mudanças nas linhas

    A Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) informa que, a partir do dia 07 de fevereiro, com a liberação da canaleta do BRT na Rua 90, as linhas 002, 006 e 007 deixam de passar nas ruas 115, 88, 89, 132 e 135, e voltam a passar na 1ª Radial e Rua 90, no Setor Sul. Confira no mapa (clique para ampliar):

    Com a liberação da Rua 90 e a interdição da Praça do Cruzeiro, para continuação de obras do BRT, as linhas 023, 026, 028, 180, 193, 302, 907, 950 e 951 também terão seu trajeto alterado. O trânsito será transferido para as ruas 107, 123 e 124, no Setor Sul. Confira no mapa (clique para ampliar):

    As tabelas de frequência horária e os mapas atualizados com o trajeto detalhado das linhas impactadas, incluindo todos os pontos de embarque e desembarque que fazem parte dos novos itinerários, já estão disponíveis para consulta no site, na aba “Visualize sua linha”, localizada no lado direito do menu.

    Os clientes com dúvidas podem receber mais informações por meio do telefone gratuito 0800 648 2222 (de segunda a sexta-feira, das 06h30 às 20h) ou dos perfis oficiais nas redes sociais (Facebook e Twitter). Os horários em tempo real desta linha estão disponíveis no aplicativo SiMRmtc, que pode ser baixado gratuitamente em celulares Android ou iOS.

Categorias

Posts recentes

Tags