• Interdição na Av. Jamel Cecílio com Marginal Botafogo

    13/09/2019 Categoria: Esclarecimentos

    As obras para construção do viaduto da Marginal botafogo com a Av. Jamel Cecílio terão início neste sábado, dia 14 de setembro.

    A interdição das vias acontecerá no encontro da Alameda Leopoldo de Bulhões e Av. Jamel Cecílio com a Marginal Botafogo. As linhas que passam pelo local terão seu trajeto alterado durante o período de interdição. Entenda as alterações:

    Linha 020- T. Garavelo/ T. Bíblia

    A linha 020, no sentido T. Bíblia, sai do Terminal Isidória pela Rua 1015 até a Al. Leopoldo de Bulhões. Com o desvio seguirá até a Rua 90, passando pela Rua 115, e só aí retorna ao percurso regular. Dessa forma, ficam sem atendimento desta linha os pontos de embarque e desembarque: 2380, 2381, 2388.

    No trajeto de volta, sentido T. Isidória, a linha não sofrerá alteração de itinerário.

    Linha 026 – T. Bandeiras/ Flamboyant

    A linha 026, no sentido Flamboyant, seguia pela Av. Jamel Cecílio até o shopping. Agora irá realizar desvio pela Rua 115 até o Viaduto Mauro Borges, voltando daí à Av. Jamel Cecílio pela Avenida “E” do Jardim Goiás.

    Já no caminho de volta, sentido T. Bandeiras, a linha 026 sairá da Av. Jamel Cecílio pela Avenida “E”, seguindo pela Rua 88, passando pela Praça Cruzeiro, seguindo pela Rua 89 para em seguida voltar ao trajeto regular pela Av. 136.

    Os pontos 133, 132, 131,130,129,118,119,120 ficam sem atendimento da linha nesse período.

    Linha 612-  Direto / T. Garavelo / T. Bíblia

    No sentido T. Bíblia a linha 612 terá alteração em todo seu percurso. Agora, a 612 irá passar pela Av. 1ª radial e Rua 90 até a Rua 115, retornando daí ao seu trajeto normal. Já no sentido T. Garavelo, a linha não sofrerá alteração.

    Linha 185- T. Isidória / Av. E/ PUC

    A linha 185, no sentido PUC, sai do Terminal Isidória e seguia pela Rua 1015 até a Av. Leopoldo de Bulhões para daí seguir pela Av. Jamel Cecílio até a Av. “E” e dali para a Av. Fued José Sebba, na PUC. Com as obras, a 185 seguirá pela Rua 1015, passando pela Rua 1018 até a Rua 109, daí para a Av. “E” até a Av. Fued José Sebba na PUC.

    Na volta, a linha saía da Av. Fued José Sebba, passava pela Rua 72 e Rua 69, seguia pela Av. Jamel Cecílio até a Avenida “E”, retornando em frente ao Colégio Hugo de Carvalho Ramos, voltando pela Rua 109 até a Av. Recife, para então seguir pela Av. 2ª radial. Agora, com as alterações, a linha 185 ao sair da Rua 69, seguirá pela Av. “L”, ao lado do Flamboyant Shopping, passando pela Rua Florianópolis, até a Avenida Recife, retornando ao seu trajeto normal.

    Dessa forma, ficam sem atendimento temporário dessa linha os pontos: 2378, 2379, 2380, 2381, 120, 4754.

    Linha 023- T. Praça A/ Praça do Cruzeiro/ Flamboyant

    A linha 023, vindo pela Rua 88, sentido Flamboyant, irá seguir até a Avenida “E”, para em seguida retornar ao seu itinerário rotineiro na Av. Jamel Cecílio. No sentido T. Praça A, a linha irá fazer o mesmo itinerário da ida (Av. Jamel Cecílio, Av. E e Rua 88). Ficarão sem atendimento os pontos de embarque e desembarque, 119,120 e 129.

    Confira no mapa as mudanças:

  • Mudança de itinerário na linha 183

    10/09/2019 Categoria: Esclarecimentos

    Em virtude das obras do BRT, a linha 183 – T. Isidoria / Vila Sul, terá seu trajeto alterado a partir do dia 10 de setembro, para efetuar o desvio no trecho impactado pelas obras.

    No trajeto de ida, a linha sairá do terminal pela Av. 3ª radial, passará pela Al. João Elias, voltando ao seu percurso normal na Av. Antônio Borges. Assim, fica sem atendimento o ponto de embarque e desembarque 1592.

    No caminho de volta, a linha ao invés de passar pela Av. Antônio Borges, irá passar pela Av. Florianópolis, seguindo pela Av. 4ª radial. Dessa forma os pontos de embarque e desembarque 1616 e 1615 ficam sem atendimento.

    Confira no mapa:

  • Campanha de combate ao assédio às mulheres nos ônibus mobiliza terminais em Aparecida

    28/08/2019 Categoria: Direitos Humanos,Mobilidade Urbana,Por dentro da Rede,Segurança,Terminais de Integração

    Com o objetivo de conscientizar a população e encorajar mulheres a denunciarem casos de assédios, a Prefeitura de Aparecida, por meio da Secretaria Executiva da Mulher, lançou nesta quarta-feira, 28, a campanha “Fim da linha para a importunação sexual contra as mulheres”. A mobilização educativa teve início no Terminal Cruzeiro com a presença do prefeito Gustavo Mendanha e a secretária executiva da Mulher, Eudenir de Souza, conhecida como “Tia Deni”.

    O trabalho consiste em abordar os passageiros dos terminais de transporte coletivo do município, com distribuição de informativos e fixação de cartazes nos ônibus em alusão a campanha. “A campanha é para alcançar toda a população para que todos saibam da importância de enfrentar o problema, denunciar e combater o assédio moral e físico. Mas principalmente o homem, para que ele tenha consciência de que o machismo não tem vez, e que se cometer qualquer ato de importunação sexual, poderá ser punido”, destacou o prefeito.

    A campanha incentiva a denúncia em casos de importunação sexual (Foto: Divulgação)

    A lei da importunação sexual considera como crime atos libidinosos praticados na presença de alguém e contra a vontade da pessoa, como toques inapropriados, carícias, etc. O autor pode pegar até cinco de prisão. Esse tipo de prática tem sido frequentemente registrada em ônibus do transporte coletivo, segundo passageiras em rodas de conversa dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) de Aparecida de Goiânia.

    “Durante as rodas de conversa em nossos CRAS constatamos que muitas mulheres sofriam abuso dentro dos ônibus e elas não faziam ideia de como proceder para combater esse tipo de crime. Por isso surgiu a ideia de realizar a campanha para dar voz às mulheres e romper com esses abusos”, ressaltou a secretária Executiva da Mulher, Eudenir de Souza.

    Joane Ferreira Dias, de 28 anos, depende do transporte coletivo para trabalhar e já sofreu assédio mais de uma vez. “É horrível e muito constrangedor. A gente depende do transporte público para trabalhar, estudar, temos que lidar com os problemas no dia-a-dia e ainda sofremos com esse tipo de situação, que é vergonhosa e criminosa”, comentou.

    A campanha foi lançada com ações de conscientização e informação nos terminais de Aparecida (Foto: Divulgação)

    Segundo ela, a campanha de combate ao assédio às mulheres dentro dos ônibus e terminais de embarque é fundamental. “Eu não fazia ideia que eu poderia denunciar esse tipo de assédio e que existe uma forma de penalizar os agressores. Vejo que que essa campanha é muito importante porque nos dá coragem para reagir e, principalmente, para denunciar casos”, pontuou.

    A campanha será realizada também nos terminais Araguaia, Vila Brasília, Veiga Jardim, Garavelo e Maranata, nos dias 3, 4 e 5 de setembro, respectivamente. Parceiro do município na realização do trabalho de conscientização, o RedeMob Consórcio cedeu espaço em 1.000 veículos do transporte coletivo para a colagem de cartazes com informações da campanha. As peças poderão ser vistas nos ônibus até o fim de setembro.

    A lei da importunação sexual, que é considerada um braço da Lei Maria da Penha, completa um ano neste mês de setembro. Ela está regulamentada no Código Penal Brasileiro. Até o ano passado, casos similares eram tratados como contravenções penais e rendiam pena de multa. Já esse novo texto, mais rigoroso, prevê pena de 1 a 5 anos de prisão.

    Cézane Siqueira, Diretor de Transportes do RedeMob Consórcio, falou sobre a parceria com a Prefeitura de Aparecida para a campanha

    Como denunciar

    Relatório da Secretaria de Segurança Pública de Goiás mostra que neste ano já foram registradas 23 ocorrências de importunação sexual no transporte coletivo, em locais públicos, residências e estabelecimentos comerciais. Denuncias podem ser feitas pelo telefone 190, da Polícia Militar, ou diretamente em uma delegacia de Polícia Civil. Em Aparecida, a Secretaria Executiva da Mulher disponibiliza o telefone 3545-5821 para orientar e dar apoio ao público feminino.

    De acordo com o diretor de transporte do RedeMob Consórcio, Cézane Siqueira, além do disque denúncia, criado para combater o assédio contra a mulher, as vítimas poderão solicitar ao motorista para que acione um botão de pânico. O sistema de segurança está disponível em todos os ônibus da Região Metropolitana, que envia um alerta para a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás e aciona uma viatura mais próxima do ônibus para atender a ocorrência. “Esse sistema funciona desde 2014 e por meio dele foi possível realizar mais de 700 prisões de diversos tipos de ocorrências. Essa é mais opção de socorro para as mulheres, em caso de assédio, abusos e outros crimes contra a dignidade da pessoa”, pontuou.

    O prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, participou do lançamento da campanha (Foto: Divulgação)

    Texto publicado pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Aparecida

  • Para urbanista, Plano Diretor de Goiânia é bom para transporte público

    28/08/2019 Categoria: Artigos,Mobilidade Urbana,Por dentro da Rede

    Erika Kneib acredita que proposta em discussão na Câmara traz avanços, mas alerta para necessidade de prazos e recursos para sua implementação

    Reportagem publicada pelo jornal O Popular em 27/08/2019

    Com pós-doutorado em mobilidade urbana, a arquiteta e urbanista Erika Kneib diz que o projeto de lei que revisa o atual Plano Diretor de Goiânia avança bastante na questão ao reforçar nas políticas de transporte público propostas pelo projeto aprovado em 2007 e tentar promover a integração de diferentes modos de transporte, mas apresenta contradições, como o incentivo a políticas que estimulam o uso de transporte particular, e ausências, como a falta de propostas para desencorajar o que ela chama de “excesso de carro” nas vias públicas.

    Erika também critica a falta de planejamento por parte do poder público para efetivamente implementar o que foi planejado no Plano Diretor de 2007. “O plano de 2007 foi de vanguarda. Trouxe muitos conceitos importantes para a mobilidade, inclusive anteriores à lei federal de mobilidade, e adotou uma estratégia muito importante, mas também muito ousada, que foi basear todo o planejamento da cidade em conjunto com o transporte público. Este modelo de cidade avançou, as construções aconteceram, mas infelizmente a infraestrutura do transporte público não avançou como esperado”, comentou a urbanista.

    Érika Kneib defende modelo em que o carro seja usado de forma racional e o transporte público priorizado (Foto: Wildes Barbosa)

    Érika foi entrevistada pelo POPULAR dentro da série “Plano Diretor para Todos”, iniciativa do jornal em conjunto com a rádio CBN Goiânia para esclarecer de forma mais detalhada o conteúdo do projeto de lei que tramita na Câmara Municipal desde o dia 10 de julho e cuja previsão de votação ficou para 4 de dezembro. Todas às terças e quintas-feiras, até o dia 12 de setembro, às 15h30, em transmissão ao vivo nos perfis do jornal no Facebook e no Youtube especialistas e autoridades públicas e civis serão entrevistados pelo POPULAR sobre aspectos importantes do projeto.

    Para Erika, Goiânia não tem outra opção a não ser investir na infraestrutura do transporte coletivo. “Toda a cidade está estruturada neste modelo.” Mas ressalta que apenas isso não basta e que o poder público precisa também fazer uma melhor integração entre os diferentes tipos de transportes. “A gente precisa integrar os diversos tipos de transporte. Isso é uma questão importante trazida no plano de 2019. Sem isso, não existe mobilidade. O transporte público é fundamental, porque estrutura a cidade, mas sozinho não consegue dar conta da mobilidade urbana”, disse.

    No modelo de mobilidade considerado como ideal pela urbanista, as pequenas distâncias seriam feitas a pé pelo cidadão e os deslocamentos médios, por meio de bicicletas. Já os longos percursos, de um bairro a outro, deveriam ser feitos priorizando o transporte coletivo. “Mas ele precisa ser rápido, ágil, competitivo em relação ao carro”, destaca. O carro, inclusive, está inserido neste modelo, mas de forma mais “racional”. “Quando for muito necessário. Se fizermos um planejamento equilibrado, conseguimos resolver o problema da mobilidade.”

    Contradições

    Érika afirma que o projeto encaminhado para a Câmara acerta quando fortalece o transporte público e promove a integração entre os modos de locomoção, abordando a questão das bicicletas e das calçadas. Mas apresenta também “alguns pontos contraditórios”. “Fala de viadutos, alargar vias para facilitar a fluidez do tráfego e ampliar a capacidade viárias. Mas o que a gente quer? Uma cidade com o transporte público protagonista ou vias que vão favorecer o carro. São (conceitos) incompatíveis”, afirmou.

    Ela destaca que obras como viadutos precisam ser feitas “com muito cuidado”. “O viaduto não resolve problema de congestionamento. A fluidez até melhora nos primeiros meses. (Entretanto,) as pessoas se sentem mais estimuladas a usar o carro. (É uma iniciativa que) Não se sustenta.”

    A urbanista também sugere que os vereadores incluam um item que não consta no projeto e que ela reconhece como bastante polêmico. “Como vamos desencorajar o uso do carro pelos próximos 10 anos. Se não pensar como desestimular, não teremos avançado muito”, explicou Erika.

  • Linha 520 amplia atendimento no Anel Viário

    27/08/2019 Categoria: Esclarecimentos

    A Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) lançará a extensão de trajeto da linha 520 – T. Cruzeiro / Estrela do Sul / Santa Fé nesta quarta-feira (28/08). Trata-se de mais uma opção de viagem para os clientes do Terminal Cruzeiro que pretendem ir até o Anel Viário, no Bairro Cardoso II, em Aparecida de Goiânia.

    O novo trajeto vai até o Anel Viário via Avenida Embaixador, nos dias úteis, após 20h, aos sábados, após 17, e aos domingos, durante todo o dia. Com a extensão, os pontos 7930, 7931, 7932 e 7933 passarão a ser atendidos pela linha.

    Os clientes com dúvidas sobre o trajeto e a frequência horária da nova linha podem receber mais informações por meio do telefone gratuito 0800 648 2222 (de segunda a sexta-feira, das 06h30 às 20h) ou dos perfis oficiais nas redes sociais (Facebook e Twitter). Os horários em tempo real estão disponíveis no aplicativo SiMRmtc, que pode ser baixado gratuitamente em celulares Android ou iOS.

Categorias

Posts recentes

Tags