• CityBus, por aplicativo, chega em Aparecida nesta semana

    28/05/2020 Categoria: Trânsito e Transporte

    A partir desta quinta-feira, 28, o CityBus 2.0 passará a atender a região do Garavelo, chegando a Aparecida de Goiânia, com uma nova característica: o “CityBus Local”. As viagens serão exclusivas para deslocamentos entre 31 bairros da região, dentre eles Jardim Buriti Sereno, Jardim Colorado, Setor dos Bandeirantes, Jardim das Ortências, Jardim Tropical, Jardim Itaipi, entre outros bairros próximos em uma área com cerca de 19 quilômetros quadrados.

    “É um serviço para deslocamentos de curta distância, sendo uma nova opção para passeios, compras, consultas médicas e visita a igrejas, entre outros.”, explica o diretor da HP Transportes, Hugo Santana.

    Por ser uma operadora de Transporte Público Coletivo que atende o Arco Sul da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), a HP Transportes sempre considerou Aparecida de Goiânia nos estudos de expansão do serviço. “Esse é o primeiro passo que estamos dando para o atendimento a cidades da Região Metropolitana de Goiânia. Com isso, Aparecida passa a ser a 3ª cidade na América Latina a contar com transporte público coletivo por aplicativo. A receptividade do serviço nessa região será valiosa para continuarmos avançando com o atendimento de novas áreas e ampliando o atendimento na cidade”, reforça o diretor.

    “Aparecida de Goiânia cresceu, está melhorando sua mobilidade urbana com ciclovias, eixos estruturantes e viaduto, o CityBus chega para inovar o sistema de transporte coletivo da nossa cidade. Esse é mais um investimento importante que além de oferecer à população uma nova opção de deslocamento entre os bairros da região Garavelo, vai proporcionar melhor comodidade ao usuário, agilidade nas viagens e acessibilidade a quem mais precisa”, destacou o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha.

    A região Garavelo será atendida por miniônibus de segunda a sábado, das 6h às 23h. O “CityBus Local” é solicitado pelo aplicativo CityBus 2.0, para um serviço de esquina a esquina, necessitando que o usuário se desloque alguns metros para encontrar o miniônibus no ponto virtual para embarque e desembarque, indicado no aplicativo. Todos os veículos possuem carregadores de tomada e USB para celulares, câmeras de segurança e não admite passageiros em pé. Todos os motoristas são contratados e treinados, o que proporcionará mais segurança ao usuário. Quem ainda não conhece o serviço, pode experimentar com a primeira viagem na região grátis inserindo o código APARECIDA.

    Neste período de pandemia da Covid-19, os miniônibus têm circulado com número limitado de pessoas, o máximo é de seis passageiros e sempre com as janelas abertas, sendo obrigatório o uso de máscaras pelo motorista e clientes. Os miniônibus têm sido submetidos a um processo rigoroso de limpeza e desinfecção cumprindo o protocolo sanitário. “Sabemos que o momento exige bastante cuidado e proteção ao sair de casa, é por isso que o lançamento do CityBus Local vem reforçar as opções de mobilidade oferecendo mais segurança para todos aqueles que precisam se deslocar nesse período”, destaca Indiara Ferreira, Diretora Executiva da HP Transportes.

    Sobre o CityBus 2.0

    O CityBus 2.0 é uma aposta da HP Transportes, empresa que atua no segmento de transporte público coletivo na Região Metropolitana de Goiânia, e da Via, a principal desenvolvedora mundial de transporte público sob demanda. O serviço já atende a mais de 95 mil clientes cadastrados nas plataformas IOS e Android. O download do app está disponível nos smartphones para ambos os sistemas. Após o cadastro, o cliente poderá solicitar a sua viagem e se deslocar para o ponto virtual indicado no aplicativo, onde fará o embarque para utilizar o serviço.

  • Goiânia decreta escalonamento de horários de trabalho para evitar aglomeração de passageiros

    19/05/2020 Categoria: Trânsito e Transporte

    Decreto assinado pelo prefeito passa a vigorar a partir de quarta-feira. Foto: Divulgação.

    Regra é válida para comércio, indústria e serviços essenciais

    JESSICA MARQUES, para o Diário de Transporte

    A Prefeitura de Goiânia, em Goiás, decretou o escalonamento de horários de trabalho para evitar aglomeração de passageiros nos veículos do transporte coletivo, em terminais e pontos.

    Assim, a partir desta quarta-feira, 20 de maio de 2020, passa a ser obrigatório o escalonamento de horários de funcionamento do comércio, indústria e serviços essenciais em Goiânia (aqueles que tem permissão para funcionar de acordo com o Decreto Estadual 9653, de 19/04/2020).

    O Decreto Municipal 951 foi revisado nesta segunda-feira, 18, e muda o escalonamento de recomendação para determinação após pesquisa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Ciência e Tecnologia (Sedetec) apontar baixa adesão dos empresários.

    De acordo com a Prefeitura, o objetivo da norma é minimizar aglomeração de usuários em terminais e em pontos de embarque e desembarque, em uma ação de combate à propagação da Covid-19.

    “Ao assinar esse decreto, queremos evitar que Goiânia continue sendo alvo da propagação desse mal. Espero que a cidade inteira entenda que estamos mudando os horários de funcionamento das empresas justamente para preservar a vida da população. Colabore, ao sair de casa, não deixe de usar a máscara, evite aglomeração”, disse o prefeito Iris Rezende.

    O documento foi redigido após negociação com várias entidades governamentais e classistas como Fecomércio, FIEG, Acieg, Codese e Sindilojas.

    REGRAS

    De acordo com a Prefeitura, serão doze faixas de horários e, além de estender o início de algumas atividades até 11h30, o decreto municipal ainda prevê que os fiscais da Central de Fiscalização Covid-19 terão autonomia para notificar, multar ou interditar estabelecimentos conforme as regras da Vigilância Sanitária. As multas começam em R$ 4,8 mil.

    Conforme consta no documento, fica permitida a flexibilização dos horários de fechamento estabelecidos na legislação em vigor, sem a necessidade de autorização prévia ou de licença especial da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia, observadas as normas trabalhistas e relativas ao sossego público.

    Além da obediência aos horários estabelecidos pelo novo Decreto, o comércio, indústria e os serviços autorizados a funcionar terão de obedecer os protocolos sanitários estabelecidos para a prevenção da contaminação pelo  novo coronavírus, nos termos da legislação federal, estadual e municipal pertinente.

    “Ficam estabelecidas medidas obrigatórias a serem adotadas pelas concessionárias de transporte público coletivo, como a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial nos terminais e no interior dos veículos do transporte público coletivo urbano no âmbito do Município de Goiânia, e do limite de capacidade de passageiros sentados. Há também normas de limpeza que terão de ser seguidas para o transporte coletivo”, informou a Prefeitura, em nota.

    Confira como fica o horário de cada segmento:

    6h
    ● Laboratórios de análises clínicas e clínicas de vacinação;
    ● Postos de combustíveis;
    ● Supermercados e mercearias;
    ● Hortifrutigranjeiros;
    ● Padarias e panificadoras;
    ● Empórios;
    ● Drogarias,

    6h30
    ● Estabelecimentos industriais de fornecimento de insumos/produtos essenciais à manutenção da saúde ou da vida humana e animal, tais como os que produzem medicamentos, materiais hospitalares, alimentos, produtos de higiene e limpeza, gás de cozinha e combustíveis;
    ● Empregados domésticos e diaristas, 6h30, 8h30 ou a partir das 10h30.
    ● Profissionais de limpeza e manutenção predial, ou 6h30, 8h30 ou a partir das 10h30.

    7h
    ● Oficinas mecânicas de veículos e motos;
    ● Autopeças e moto peças;
    ● Borracharias;
    ● Obras de construção civil;

    7h30
    ● Indústria de insumos para obras da construção civil;
    ● Indústria de extração mineral;

    8h30
    ● Oficinas mecânicas destinadas ao setor agropecuário;
    ● Lojas de insumos do setor agropecuário;
    ● Lojas de produtos veterinários destinados ao setor agropecuário;
    ● Empregados domésticos e diaristas, 6h30, 8h30 ou a partir das 10h30.
    ● Profissionais de limpeza e manutenção predial, ou 6h30, 8h30 ou a partir das 10h30.

    9h
    ● Farmácias de manipulação;
    ● Lojas de produtos agropecuários;
    ● Lojas de peças do setor agropecuário;
    ● Empresas de vistoria veicular;
    ● Serviços de internet;
    ● Distribuidoras de água;
    ● Distribuidoras e revendedoras de gás;

    9h30
    Lojas de máquinas/implementos agropecuários;
    ● Depósitos de materiais de construção;
    ● Ferragistas e lojas de materiais elétricos/hidráulicos;
    ● Lojas de locação de máquinas/equipamentos para a construção civil; ● Lojas de pneus;
    ● Demais estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços não mencionados no Decreto, e prestadores de serviços ou similares, não mencionados no Decreto, e que estejam autorizados a funcionar por meio do sistema de entrega

    10h
    ● Óticas; ● Petshops;
    ● Cartórios extrajudiciais;
    ● E-commerces; ● Concessionárias de veículos e motos;

    10h30
    ● Lojas comerciais em sistema de entrega.
    ● Empregados domésticos e diaristas, 6h30, 8h30 ou a partir das 10h30.
    ● Profissionais de limpeza e manutenção predial, ou 6h30, 8h30 ou a partir das 10h30.

    11h
    ● Lavajatos;
    ● Salões de beleza e barbearias;
    ● Lavanderias;
    ● Empresas de desinsetização e controle de pragas urbanas;

    Após 11h30
    ● Consultórios médicos;
    ● Consultórios de psiquiatria e psicologia;
    ● Consultórios odontológicos;
    ● Escritórios de profissionais liberais.

    Estabelecimentos com funcionamento 24 horas
    ● Aos estabelecimentos autorizados a funcionar durante 24 (vinte e quatro) horas não se aplicam as determinações previstas neste artigo, sendo obrigatório que as trocas de turnos ocorram de maneira a não sobrecarregar o transporte público coletivo urbano no âmbito do Município de Goiânia.

    Horários normais de funcionamento
    ● Templos religiosos e congêneres;
    ● Jornais e emissoras de rádio e TV;
    ● Hospitais em geral;
    ● Clínicas e hospitais veterinários;
    ● Restaurantes e lanchonetes em postos de combustíveis situados às margens de rodovias;
    ● Empresas de energia elétrica, saneamento, telecomunicação;
    ● Empresas de segurança privada;
    ● Agências bancárias e agências lotéricas;

    ● Feiras livres;
    ● Atividades de transporte;
    ● Indústrias que estejam produzindo equipamentos e insumos para auxílio no combate à pandemia da COVID-19;
    ● Cemitérios e serviços funerários; ● Call Centers (geral) e serviços de internet;
    ● Estabelecimentos de ensino privado;
    ● Hotelaria e congêneres e atividades de assistência social.
    ● Prestação de serviços vinculados a reparos emergenciais, como chaveiro, encanador e eletricista.

    Horários normais de funcionamento para “entrega”
    ● Restaurantes;
    ● Cafés;
    ● Lanchonetes;
    ● Bancas de jornais e revistas

    Confira aqui a íntegra do Decreto 1050, de 18 de maio de 2020 – Escalonamento Obrigatório

  • Metrobus dobra equipe de higienização para manutenção de limpeza da frota

    18/03/2020 Categoria: Trânsito e Transporte

    Desde a última sexta-feira (13/03), a Metrobus tem reforçado a equipe de limpeza dos veículos do Eixo Anhanguera e extensões. Um processo seletivo para contratação de funcionários temporários aconteceu nesta segunda-feira (16/03) e a empresa já conta com novos colaboradores. A ação é preventiva haja vista o avanço do novo coronavírus em Goiás.

    Com o processo de seleção para contratação de lavadores temporários, a equipe de higienização da Metrobus será dobrada e o número de veículos que passam diariamente por uma ‘lavagem completa’,  isto é, com sabão e shampoo automotivo, além da assepsia com a utilização de álcool também vai duplicar. Esse processo inclusive, já era adotado pela companhia. “É importante destacar que a forma como a limpeza é feita não muda. Nossa equipe de higienização sempre teve o cuidado de lavar os ônibus minuciosamente. A assepsia com a utilização de álcool também é rotina. O que está acontecendo é um reforço para a manutenção dessa limpeza”, pontua Paulo Cézar Reis, presidente da Metrobus.

    Também serão alocados alguns colaboradores para o Terminal Padre Pelágio em que irão realizar limpezas de manutenção no intervalo entre às viagens quando os motoristas tiram suas respectivas pausas no serviço. “Essa é uma novidade. Antes essa limpeza de manutenção não era realizada. Agora, iremos testar uma ação piloto para que os ônibus mantenham a mesma higiene de quando saem para viagem da garagem”, salienta Reis.

    Atualmente a equipe de higienização da companhia é composta por aproximadamente 20 colaboradores que lavam de forma completa, uma média de 15 a 20 veículos por dia. Os outros veículos que saem para a operação passam por um processo de ‘varreção’, o que significa que todos os veículos que operam no Eixo Anhanguera, saem da garagem da empresa limpos. “Já foram contratados imediatamente 12 colaboradores que já iniciaram os trabalhos”, explica Paulo. A expectativa é que outros candidatos sejam contratados à medida que novas demandas forem surgindo. “Tudo será feito com a agilidade que esse momento que vivemos está pedindo. Mas também com muita responsabilidade”, ressalta.

  • Concessionárias do transporte coletivo intensificam limpeza dos ônibus para prevenir disseminação do coronavírus

    18/03/2020 Categoria: Trânsito e Transporte

    As concessionárias da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) – Cootego, HP Transportes, Metrobus, Rápido Araguaia e Viação Reunidas – estão se mobilizando para prevenir a disseminação do novo coronavírus, agente causador da doença COVID-19. Seguindo as determinações do Governo de Goiás, as empresas intensificaram a desinfecção e higienização da frota de veículos que atendem a população da Região Metropolitana de Goiânia.

    Entre as medidas adotadas, estão a implementação de uma limpeza especial diária de todos os veículos no ato do recolhimento da frota, realizada após a lavagem e limpeza regular, utilizando produtos como álcool líquido 70 e hidroclorito de sódio 1%, e a disponibilização de frascos com álcool gel 70 nas entradas das garagens, para utilização dos motoristas. A lavagem é feita com escovas e jatos de alta pressão.

    Também estão em curso outras medidas de prevenção, a serem adotadas em curtíssimo prazo, como a entrega de recipientes individuais com álcool gel para cada motorista (pedido colocado junto à fábrica, aguardando produção) e limpeza especial dos ônibus em intervalos regulares de viagens (equipamentos de limpeza sendo providenciados e equipe sendo mobilizada para realização destas atividades)

    Além da rigorosa limpeza dos ônibus, as concessionárias do transporte coletivo também estão desenvolvendo ações internas nas estruturas das garagens e também para conscientização de seus profissionais em relação aos perigos do coronavírus e às principais medidas de prevenção da doença.

  • Transporte público urbano pode perder mais de 50% dos passageiros por causa do coronavírus

    18/03/2020 Categoria: Trânsito e Transporte

    Avaliação dos impactos sobre o setor aponta para violenta queda da demanda com o avanço do Covid-19. Entidade quer apoio financeiro do Governo Federal.

    por Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU)

    Demanda será impactada com o avanço do coronavírus

    Nos últimos dias houve redução de aproximadamente 30% da demanda de passageiros de transporte público coletivo urbano por ônibus em algumas cidades brasileiras em decorrência das medidas de distanciamento social e de flexibilização das atividades laborais, tais como o trabalho à distância (home office), devido ao avanço do coronavírus no país. Estima-se que metade desse total, 15%, se deve à suspensão das atividades educacionais e fechamento de escolas. O agravamento da situação poderá gerar um impacto de mais de 50% na queda de passageiros, segundo levantamento preliminar da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), que representa o setor.

    Para fazer frente à esse quadro, a entidade defende a flexibilização temporária da oferta, com readequação da frequência e do número de ônibus, em decisão conjunta com o poder público local. “Não faz sentido ter ônibus rodando vazios só para cumprir um planejamento feito antes da pandemia, e que não se aplica mais neste momento”, pondera o presidente executivo da NTU, Otávio Cunha. Ele lembra que essa medida foi adotada pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas, no decreto emergencial assinado hoje, e já tinha sido aprovada no último dia 13 de março pela Diretoria de Transportes Rodoviários do Rio Grande do Sul em relação ao transporte intermunicipal daquele estado.

    Numa situação extrema, de limitação de todo e qualquer deslocamento não essencial, como já vem ocorrendo em várias cidades da Europa, a NTU estima que grande parte do serviço de transporte público ficaria ocioso devido à redução de praticamente toda a demanda. “É importante frisar que, pela natureza essencial desse serviço público, seria necessário manter uma oferta mínima para atender aos passageiros que não têm outra alternativa de deslocamento”, esclarece o presidente executivo da NTU, Otávio Cunha.

    Diante desse cenário e com a expectativa de forte redução do número de passageiros tendo em vista o crescimento previsto do número de casos do Covid-19, a NTU reivindica que sejam adotadas, desde já, medidas especiais e emergenciais para assegurar a continuidade do transporte público urbano em todo o país, nas condições estipuladas pelas autoridades públicas, de forma que mesmo em uma situação de queda drástica da receita, as empresas operadoras possam sobreviver frente às obrigações financeiras para manter os serviços em funcionamento.

    O pleito a ser encaminhado ao Governo Federal consiste na instituição de um fundo nacional de emergência que possa complementar o déficit previsto entre custos e receitas das empresas operadoras de transporte público coletivo urbano e de caráter urbano.

    Otávio Cunha reconhece a grande responsabilidade social do setor de transporte público coletivo, que tem que ofertar um serviço que atenda os atributos de universalidade, continuidade e preços módicos, mas vê grandes dificuldades pela frente. “Estamos falando de um setor responsável por 86% das viagens realizadas em modos de transportes coletivos urbanos em todo o país. O setor deve seguir todas  as recomendações das autoridades públicas sobre a oferta dos serviços, mas, para isso, precisa ter garantido o equilíbrio financeiro das operações, visto que, de forma geral, as empresas estão debilitadas, já que enfrentam há tempos uma crise decorrente da queda sistemática de demanda, e não vão aguentar mais esse baque”.

    Medidas de prevenção contra o coronavírus afetam o transporte público coletivo

    CUIDADOS

    Ele explicou que a NTU já orientou as empresas associadas e entidades filiadas a adotarem uma série de procedimentos preventivos, que vão da divulgação de informações sobre o coronavírus para passageiros ao reforço da limpeza dentro dos coletivos. As recomendações, enviadas oficialmente por meio carta às empresas associadas, seguem as orientações do Ministério da Saúde, da OMS e da Associação Internacional de Transporte Público e incluem cuidados direcionados tanto aos passageiros quanto aos operadores do serviço:

    Passageiros

    • Manter as janelas dos ônibus abertas para uma melhor circulação do ar, sempre que possível;
    • Evitar os horários de pico nos transportes públicos;
    • Escolher rotas que envolvam apenas um meio de transporte, evitando trocas de linhas ou modais que aumentam o risco de exposição, sempre que for viável;
    • Lavar sempre as mãos com sabão até a metade do antebraço, esfregando também as partes internas das unhas, antes e depois de usar o transporte público; alternativamente, limpar as mãos com álcool em gel 70° INPM;
    • Evitar cumprimentar com beijos, apertos de mãos e abraços;
    • Limpar com álcool em gel 70° INPM objetos tocados frequentemente;
    • Evitar tocar nas áreas do rosto (principalmente nariz, olhos e boca) antes de higienizar as mãos
    • Quando tossir ou espirar, proteger a boca na parte interna do antebraço ou com um lenço descartável;
    • Procurar manter uma distância de pelo menos 1 metro de quem estiver tossindo ou espirrando;
    • Utilizar lenços descartáveis quando estiver com o nariz escorrendo, descartando o lenço usado imediatamente no lixo;
    • Evitar sair de casa caso apresente sintomas de gripe ou similar;
    • Seguir as orientações oficiais do Ministério da Saúde e autoridades sanitárias, evitando mensagens falsas que circulam pela Internet e WhatsApp (fake news).

    Operadores

    • Manter as janelas dos ônibus abertas para uma melhor circulação do ar sempre que possível;
    • Reforçar a limpeza diária interna dos veículos, a desinfecção e limpeza de balaústres e pega-mãos, fazendo a higienização dos veículos com mais frequência no decorrer do dia, sempre que possível;
    • Disponibilizar espaços para cartazes e outros materiais informativos sobre a prevenção do coronavírus na frota e demais canais de comunicação da empresa (sites, redes sociais, TV de bordo);
    • Orientar os funcionários sobre métodos de prevenção contra o coronavírus;
    • Colocar à disposição dos funcionários, nas áreas administrativas e nas garagens, álcool em gel 70° INPM.

Categorias

Posts recentes

Tags