• Combate a violência contra à mulher nos terminais

    11/10/2018 Categoria: Esclarecimentos

     

    Aconteceu durante todo o dia de ontem, 10 de outubro, em alguns terminais, ações de orientação as mulheres sobre as políticas públicas em defesa da mulher vítima de violência doméstica e familiar, além de assessoramento e acolhimento de mulheres que vivem em situação de risco de morte. Essas ações fazem parte do projeto realizado pela Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres de Goiânia em alusão ao Dia Nacional de Luta Contra a Violência à Mulher.

    A Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), entre outras empresas, fez parceria com a secretaria para reforçar a importância da luta ao combate a violência à mulher. Equipes de diversos órgãos trabalharam simultaneamente em vários locais como Aeroporto, Rodoviárias, Centro de Goiânia, Faculdades, Universidades, Postos de Saúde, Cais, CRAS, CREAS e terminais de ônibus do transporte público orientando a população com distribuição de panfletos informativos.

    Para a idealizadora do projeto e secretária municipal de políticas para mulheres, Ana Carolina de Souza Almeida, o objetivo principal era levar informação dos vários tipos de violência contra a mulher e das diversas práticas abusivas existentes. “A violência pode ser física, psicológica, moral, patrimonial e até sexual e são as repetições dessas práticas pelos agressores que levam a morte mulheres em todo o Brasil”, relatou.

    A secretária ressaltou ainda a importância da parceria com a RMTC neste projeto, pois conseguiu atingir um grande número de pessoas nos terminais da Região Metropolitana de Goiânia. “O resultado das ações foi muito satisfatório, foram distribuídos mais de 20 mil panfletos, isso mostra a quantidade de pessoas com as quais conseguimos conversar”. Ana Carolina reforçou ainda que a orientação foi dada não só as mulheres, “os homens também precisam saber como se dá a violência e que isso é crime”, disse ela.

    Mecanismos legais como a Lei Maria da Penha, tem contribuído no enfrentamento de algumas mulheres aos abusos violentos. A comemoração da data como referência ao combate à violência contra a mulher é importante porque reflete diretamente na conscientização das mulheres que são vítimas a denunciarem as agressões. No Brasil, as denúncias podem ser feitas gratuitamente através do telefone 180, número que também fornece informações sobre procedimentos e como se comportar em situações de violência.

     

  • Linhas 504 e 565 farão novos atendimentos em Aparecida

    09/10/2018 Categoria: Mudanças nas linhas

    A partir desta quarta-feira, 10, os setores Chácara São Pedro e Conjunto Mabel contarão com dois novos atendimentos, as linhas 504 que liga a região do Conjunto Mabel ao Terminal Vila Brasília e a linha 565 ligando ao Terminal Isidória.

    Com isso, para ir ao Terminal Praça da Bíblia será necessário embarcar na linha 565 até o Terminal Isidória e lá embarcar nas linhas 020 ou 612 sentido Terminal Bíblia. Já os passageiros que vão para o Centro de Aparecida devem embarcar na linha 504 até o Terminal Vila Brasília e lá embarcar na linha 651.

    A extensão no trajeto das linhas 504 e 565 irá sobrepor todo o trajeto da linha 206, que por isso deixará de operar.

    Veja o mapa:

     

  • Violência contra a mulher não é só física

    09/10/2018 Categoria: Direitos Humanos,Projetos e ações

    A violência pode ser física, psicológica, moral, patrimonial e até sexual. Conhecer os sinais de um relacionamento abusivo é determinante para saber identificar quando a violência, em suas mais diversas formas, ocorre. Para isso, a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres de Goiânia, juntamente com diversos órgãos e empresas como as secretarias municipais de Saúde e de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, Ministério Público de Goiás, Delegacias Especializadas em Atendimento à Mulher, Caixa Econômica Federal e Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), estarão juntas no próximo dia 10 de outubro, Dia Nacional de Luta Contra a Violência à Mulher.

    Neste dia serão desenvolvidas ações simultâneas em locais com grande volume de pessoas como Aeroporto, Rodoviárias, Centro de Goiânia, Faculdades, Universidades, Postos de Saúde, Cais, CRAS, CREAS e terminais de ônibus do transporte público com o intuito de orientar as mulheres sobre as políticas públicas em defesa da mulher vítima de violência doméstica e familiar, bem como as de prevenção, assessoramento e acolhimento de mulheres que vivem em situação de risco de morte.

    O objetivo do projeto é alcançar toda a sociedade goianiense, através de um trabalho educativo com foco na prevenção contra a violência doméstica e familiar direcionada à mulher. De acordo com dados da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios, foram registrados entre os meses de janeiro a agosto deste ano 248 homicídios na cidade de Goiânia, desse total 24 foram contra mulheres e nove foram feminicídios, ou seja, quando a morte é exclusivamente pelo fato da vítima ser mulher.

    Mecanismos legais como a Lei Maria da Penha, tem contribuído no enfrentamento de algumas mulheres aos abusos violentos. Ainda assim, é de grande importância a comemoração da data como referência ao combate à violência contra a mulher, principalmente, porque isso reflete diretamente na conscientização das mulheres que são vítimas a denunciarem as agressões. No Brasil, as denúncias podem ser feitas gratuitamente através do telefone 180, número que também fornece informações sobre procedimentos e como se comportar em situações de violência.

     

    Reforço contra a violência à mulher

    Foi sancionada no último 24 de setembro pela Presidência da República, a Lei 13.718/18 que torna crime a importunação sexual e divulgação de cenas de estupro. Antes, estes atos eram considerados contravenção penal, ou seja, crimes de menor potencial ofensivo, com pena de multa. Agora, quem praticá-los poderá pegar de 1 a 5 anos de prisão.

    O crime de importunação sexual é caracterizado pela prática de ato libidinoso na presença de uma pessoa e sem seu consentimento. De acordo com a nova lei poderá receber a mesma pena quem vender ou divulgar cena de estupro por qualquer meio, seja foto, vídeo ou qualquer outro tipo de registro audiovisual. Caso o agressor tenha alguma relação afetiva com a vítima a pena poderá ser ainda maior. A lei também aumenta a pena nos crimes contra a liberdade sexual e contra vulneráveis.

    Lei Maria da Penha

    Em vigor desde 2006, esta, que talvez seja uma das leis mais importante do país, a Lei 11.340/06, mais conhecida como Maria da Penha, cria mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher. De acordo com texto do artigo 50 da Lei Maria da Penha “configura violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial”. Não seja mais uma vítima, denuncie.

     

  • Linha 182 tem trajeto estendido e mais um ponto de embarque

    09/10/2018 Categoria: Mudanças nas linhas,Novidades da Rede

    A partir desta quarta-feira, 10, a linha 182 (T. Dergo/Guapó/Via T. Pq. Oeste) terá o trajeto alterado para atender mais um bairro do município de Guapó, Região Metropolitana de Goiânia. Para melhor atender os passageiros desta linha, haverá ainda, a implantação de mais um ponto de parada na mesma.

    A linha 182 será estendida até o recém-inaugurado, Residencial Bandeira. Para isso, já na cidade de Guapó, o trajeto seguirá pela Rua São Gonçalo, e no novo bairro o trajeto continua nas ruas 1, 6 e 2. Seguindo o trajeto atual na volta.

    O ponto de parada que será implantado na linha é o PED-7950 e está localizado na Rua 6, do Residencial Bandeira.

    Veja o mapa:

  • Linha 527 tem alteração no trajeto após obra no Anel Viário

    05/10/2018 Categoria: Mudanças nas linhas

    A partir de amanhã, 06, a linha 527 (T. Cruzeiro / Cid. Vera Cruz), terá alteração em seu trajeto devido a obra de criação de uma rotatória no Anel Viário, no Conjunto Vera Cruz, em Aparecida de Goiânia.

    Antes, neste trecho, o trajeto seguia pelas ruas J-17, H-161, H-110 e H-111 continuando no Anel Viário. Agora a linha segue pelas ruas J-17, H-161 e Anel Viário seguindo o restante do trajeto atual.

    Com esta mudança os pontos 1900 e 2479, localizados na Rua H-111 no Bairro Cidade Vera Cruz, não serão mais atendidos por esta linha.

Categorias

Posts recentes

Tags